E finalmente VINTE-VINTE, o ano mais infame dos nossos ciclos temporais, chegou ao fim. Porém, antes de finalmente chutarmos essa urucubaca que foi o ano no geral, precisamos parar para uma indispensável e altamente culturalmente, socialmente, várias-coisas-mente relevante lista de 50 MELHORES MÚSICAS DO ANO pelo incansável JESUS USAVA CHANEL. Dessa vez reunimos todas as músicas em um post só pois simplesmente não havia tempo para postar a lista em partes separadas – o que é ótimo para você que entra no blog só pra dar uma conferida tão curta quanto a sua capacidade de se concentrar em qualquer atividade.

O que fazer quando você, uma artista anteriormente querida pelo público, deixou a sua reputação mais suja do que pau de galinheiro depois de um álbum de qualidade duvidosa? Uma limpeza de imagem musical, é claro! E é por isso que o sétimo episódio do podcast do JESUS USAVA CHANEL se trata de um longo estudo sobre a construção visual de mocinha na indústria da música pop, com uma discussão sobre artistas que mudaram seus direcionamentos musicais para reconquistarem o público – tudo com um selo Rafa Kalimann de qualidade! [TRIGGER WARNING] O episódio traz rápidas menções sobre assuntos densos como assédio e abuso sexual, então não clique em play caso esses sejam temas sensíveis para você.

O mês de junho chegou ao fim (há bastante tempo), mas o JESUS USAVA CHANEL não esqueceu que estivemos no PRIDE MONTH, mês destinado a celebrar a visibilidade da comunidade LGBT por conta do 28 de junho: o Dia do Orgulho LGBT. A data existe por causa da revolta de Stonewall, algo que você lgbtzinho médio deveria saber bem do que se trata (e também do fato de que ninguém morreu lá), e nós, como um blog GGGG LGBT que somos, não podíamos deixar de comemorar o Pride Month com estilo, pompa e bastante atraso.

O podcast do JESUS USAVA CHANEL está de volta pra te perguntar: a sua reputação anda mais podre que a reputação da Taylor Swift? Sim, nessa edição iremos comentar sobre o rePUTAtion, álbum mais recente da diva redneck e dizer se o álbum vale ou não a pena. Além disso, comentamos também sobre icônicos lançamentos de Tove Lo, Kelela, Kali Uchis e muito ++++++++++++++++. Além disso, metemos o pau na Lady Gaga após o já icônico cancelamento do show dela no Rock In Rio.