A última década passou voando e, digamos, a passagem do tempo tem um efeito devastador nos membros do JESUS USAVA CHANEL, já que todos estamos chegando (mais cedo ou mais tarde) na periclitante faixa dos 30 anos. Dito isto, 2011 foi um ano que rendeu um número incrível de álbuns subestimados e que acabaram se tornando clássicos pop sem que nós sequer percebêssemos com clareza – e é por isso que o décimo episódio do nosso podcast vai falar exatamente sobre esses discos decenários e como eles tiveram uma importância enorme para a construção do ouvinte pop contemporâneo e do fã regular de cantoras flopadas e obscuras. Sintoniza seu rádio aí e vem dar play no JU2C #10!

Enquanto os membros do JESUS USAVA CHANEL não estão caçando briga com youtubers na internet, falando mal diariamente daquela sua péssima girlband favorita, furando o isolamento social em busca de fresquíssimos ingredientes veganos ou fazendo um café coado na cueca pro namorado, eles também estão consumindo uma quantidade enorme de conteúdo midiático. E como a gente sabe que pros gays o simples consumo de conteúdo midiático não é o suficiente, estamos lançando uma nova coluna no JU2C para recomendar as melhores partes deste conteúdo para você querida mulher de família leitora do blog que se perde nos extensos e pouco apurados catálogos da Netflix ou Spotify.

Vocês pediram (na verdade NÃO pediram), e o JESUS USAVA CHANEL finalmente voltou com a terceira parte da nossa aguardadíssima lista das 100 MELHORES MÚSICAS DA DÉCADA DE 2010. Como o blog anda com uma rotina bem regular de posts desde o último mês, basicamente optamos por lançar essa lista de forma mensal – ou seja, a próxima e última parte dela vai rolar pontualmente no mês que vem. Nessa parte 3, a penúltima parte dessa série cansativa, nós comentamos as músicas das posições 50 a 26. A gente tá cada vez mais perto do pódio e, pelos artistas que aparecem aqui, acho que já dá pra ter uma noção de quem vai dar ou não as caras no nosso top 25 em agosto.

O podcast principal do JESUS USAVA CHANEL tá de volta com um especialzinho pro Pride Month (que inclusive já passou há muito tempo). Nesse episódio, onde o Lucas está excepcionalmente ausente, nós comentamos sobre uma prática safadíssima da cultura pop e que já pescou muita gente por aí: o Queerbaiting! Além de explicar o termo para quem ainda não é muito entendido sobre o tema, nós também listamos alguns exemplos importantes de pescaria LGBT+ nos mercados midiáticos do ocidente e do oriente!