O que fazer quando você, uma artista anteriormente querida pelo público, deixou a sua reputação mais suja do que pau de galinheiro depois de um álbum de qualidade duvidosa? Uma limpeza de imagem musical, é claro! E é por isso que o sétimo episódio do podcast do JESUS USAVA CHANEL se trata de um longo estudo sobre a construção visual de mocinha na indústria da música pop, com uma discussão sobre artistas que mudaram seus direcionamentos musicais para reconquistarem o público – tudo com um selo Rafa Kalimann de qualidade! [TRIGGER WARNING] O episódio traz rápidas menções sobre assuntos densos como assédio e abuso sexual, então não clique em play caso esses sejam temas sensíveis para você.

Vocês realmente pensavam que não íamos inventar uma forma de capitalizar o atual cenário de greve dos caminhoneiros e intensa crise de combustíveis no Brasil? Pois bem, nossa central jornalística profissionalíssima do Jesusworechanel vem quebrar o ócio criado por decisões políticas duvidosas e desastrosas desse país com uma imperdível lista de 10 clipes para se assistir durante a atual conjuntura de dedo no cu e pouca confusão – já que não temos gasolina para isso – em que a Terra Brasilis se encontra /o/

Você bobeou e o podcast mais crocante da internet é agora 100% reaproveitável e ecologicamente consciente! OU QUASE. Nessa semana, fizemos um churrasco vegano/ovolactovegetariano/whatever grelhando melancia ao som do frutífero single novo do Red Velvet; ralamos o grelinho na areia com a era sem glúten, açúcares e pós-apocalíptica da Hyori em Black; fomos pra igreja e pregamos hard com a nova da Kesha; libertamos nossa Brooke Candy dos hipotéticos cativeiros da Sia dentro de nós mesmos !!; criticamos muito a indústria idol japonesa patriarcal podre exposta no documentário Tokyo Idols; e por fim, fizemos uma completa fotossíntese após o filme OKJA. E MUITO MAIS!! VEM, BBS.

Vocês não estão preparadas pra nova era ritualística e cabalística do JESUS USAVA CHANEL, que nessa semana traz o nosso primeiríssimo SPECIAL GUEST, Esdras Meneses, ou ESH, e um approach todo xamanístico para falar de entidades falecidas como as Spice Girls, AOA e a carreira da Nicki Minaj. Você quer Márcia Fernandes?