Numa tentativa vã de redenção, resolvemos voltar justamente analisando os lançamentos relevantes que rolaram enquanto estivemos fora do universo musical/cibernético/pós-irônico dos gays da internet. Fato é: NENHUM girlgroup asiático lançou algo relevante em 2021 até agora, então voltamos a nossa atenção para as solistas coreanas e suas tentativas de sucesso durante esses primeiros três meses do ano, tentativas essas que pelo menos foram mais sólidas e frequentes que os grupos completos.

E finalmente VINTE-VINTE, o ano mais infame dos nossos ciclos temporais, chegou ao fim. Porém, antes de finalmente chutarmos essa urucubaca que foi o ano no geral, precisamos parar para uma indispensável e altamente culturalmente, socialmente, várias-coisas-mente relevante lista de 50 MELHORES MÚSICAS DO ANO pelo incansável JESUS USAVA CHANEL. Dessa vez reunimos todas as músicas em um post só pois simplesmente não havia tempo para postar a lista em partes separadas – o que é ótimo para você que entra no blog só pra dar uma conferida tão curta quanto a sua capacidade de se concentrar em qualquer atividade.

O pico de lançamentos na indústria musical sul coreana em 2020 anda sendo sempre nas segundas-feiras, e isso infelizmente faz com que o JESUS USAVA CHANEL precise trabalhar nesse dia ingrato em prol de expor opiniões duvidosas aos nossos fiéis leitores. Felizmente a gente bolou a JESUS RANKEIA, essa coluna sem periodicidade bem definida por erros internos e que existe para que possamos fazer reviews rápidas de várias músicas enquanto poupamos um pouco os nossos neurônios.

Provando que uma pandemia não pode acabar com a indústria do entretenimento, a Coreia do Sul está a todo vapor e não tem sinal de parar com seus lançamentos. Dessa vez, a ex-IOI, ex-produce 101, CHUNG HA deu a nós tudo que podíamos pedir em seu pre-release de um comeback que ainda está por vir. “Stay Tonight” pode não ser o “cup of tea” – copo de chá ! – da Coreia do Sul, a produção com elementos de deep house e um break épico, feita para ser exportada diretamente para as pistas de dança no meio de uma pandemia grita: “dance para sobreviver”. Mais uma vez, Chung Ha toma seu título de ex-IOI mais bem sucedida da indústria sendo uma das poucas que não fez parte de um grupo “nugu” e tomou a Coreia do Sul com sua voz high pitched que a fez estar aqui hoje.