RECAPEANDO: Blackpink – How You Like That

O JESUS USAVA CHANEL é um blog negatividade free e que se propõe a sempre jogar uma luz positiva e afável por cima de tudo aquilo que resenhamos ou comentamos. Benevolentes e cordiais como somos, estamos dispostos a superar nossas possíveis birras e escárnios com o BLACKPINK agora em 2020, já que o grupo acabou de voltar com a faixa “How You Like That” e não dá pra negar que cada lançamento das garotas é um verdadeiro acontecimento na esfera do K-pop. E já que somos um blog negatividade free, não vamos nos delongar explicando que odiamos a música e que ela soa pior do que qualquer coisa genérica que o grupo já lançou – em vez disso vamos nos focar no melhor aspecto desse lançamento e em algo que o BLACKPINK sempre faz com maestria: o clipe.

Não é de hoje que a produção videográfica do girlgroup é bastante apurada, afinal, elas já estão acostumadas a nos presentear com clipes repletos de ideias ousadas, edições frenéticas, figurinos caríssimos e cenários grandiosos que teleportam o público para dentro de armadilhas gigantes, florestas artificiais e construções imponentes. Com isso em mente, nós do JU2C vamos abrir uma nova seção no site, o RECAPEANDO, onde comentaremos frame a frame (ou nem tanto) os momentos mais importantes de produções audiovisuais notáveis, um conceito safadamente chupinhado do RSFD e que pode ser bastante útil quando não queremos fazer review ruim de uma música pra não atrair hate de fandom queremos dar mais atenção ao aspecto estético de algum lançamento.

A título de curiosidade, “How You Like That” é o oitavo clipe lançado pelo BLACKPINK até agora, e lembra que a empresa delas prometeu lançar oito clipes do grupo… até o final de 2016? Bom, se todo mundo se esforçar bastante (e aproveitando que 2020 anda sendo terrível) dá pra fingir que 2016 nunca acabou! Enfim, chega de blablablá e simbora pro Recap.

O clipe começa como qualquer um dos últimos clipes do grupo: todas as garotas estão reunidas em um cenário amplo e vestindo provavelmente as roupas mais longas que elas vão usar no clipe inteiro – nesse caso, vestidões pirigóticos que ajudam no clima “grandioso” da intro. Esse cenário em si é o mais horroroso do negócio todo e completamente reciclado do clipe de Kill This Love /o/, com a diferença que parece ter saído mais especificamente de algum cenário daquelas séries de mitologia grega farofa que passavam nas tardes da Record, tipo Xena ❤ e Hércules.

Logo a música começa de fato, e ela soa como um toque de alarme de celular da Samsung só que em um tom mais baixo. Vale ressaltar aqui que nenhum clipe do BLACKPINK se compromete a contar uma historinha, então vamos sempre ser bombardeados com cenas aleatórias das integrantes em cenários aleatórios e nada vai se conectar muito bem no final das contas. Vamos aos cuts.

Cenário #1: integrante preguiçosa do grupo aparece em um cenário também preguiçoso que é basicamente uma sala com projeções de piscina e um caixote cinza. O cabelinho Dua Lipa/Vampira vem pra dar um charme de e-girl pro lançamento.

Cenário #2: integrante fanha mas carismática aparece em um cenário sobre prolapsia e fissura anal. Repare nas rosas como metáfora visual imbatível sobre o tema.

Cenário #3: integrante com voz anasalada ganha DOIS CENÁRIOS porque ela é mais gostosa do que as outras. O primeiro cenário parece saído de clipes antigos do Evanescence, já o segundo cenário é repleto de flores e uma clara homenagem ao lendário clipe de Pink Rocket do grupo Dal Shabet – uma propaganda descarada para o nosso BAÚ DA KAHI sobre o girlgroup e nós estamos de acordo com isso.

*BOOOOM*. Óbvio que perto de refrão rola essa delícia de cena aleatória da mina com uma balaclava pra que o grupo possa dizer: somos SIM garotas malvadannnns.

Como a quarta gostosa do grupo geralmente só vem dar as caras depois da metade das músicas, nós não temos um cenário só pra ela por enquanto – então somos transportados para um cenário de dança com todas as integrantes. Esse é na verdade a continuação do cenário anterior e bom… eu sei que isso é uma tendência recorrente no K-pop, mas esses cenários cheios de flores e plantas me dão uma agonia e fazem subir um cheiro de Repelente loção OFF! Família 100ml na minha cabeça. Aqui as gatinhas basicamente só fazem dar umas mexidinhas nos quadris em lookinhos CELINE e Marine Serre que você NUNCA. VAI. PODER. BANCAR. ❤

~Culturalmente relevante close nas joias dentárias das garotas no intuito de mostrar que elas são sim garotas do gueto e FODONAS do hip-hopzzzz~

Agora a música começa a ficar meio ~étnica~, e o que mais seria étnico pro K-pop do que um suculento ❤️ cenário de mercado árabe com paredes fudidas e cheias de tapetes e muambas variadas ❤️? Essa ideia é tão lugar-comum que pelo menos uns 8 girlgroups já usaram e abusaram dela. Só pra citar alguns exemplos, temos MAMAMOO, as rainhas étnicas (G)-IDLE e até o próprio BLACKPINK em antigos momentos de glória. Não temos nenhuma novidade por cima dessa ideia além da inserção de alguns animais que provavelmente estão assustados com o estúdio claustrofóbico onde isso tudo foi gravado – reparem que a mula a cada frame tenta se afastar mais das câmeras.

A seguir temos:

Cenário brega com guarda-chuvas que não faz muita diferença no produto final.

Cenário brega com guarda-chuvas reciclado só que dessa vez servindo pra integrante gata abalar um Alexander McQueen de 3 mil dólares com cara de que foi produzido a partir de trabalho análogo ao escravo de rendeiras do alagoas.

*BOOOM* Cenário de dança número dois: um cenário de neve horroroso assim como qualquer cenário de neve que os coreanos resolvem fazer. Dessa vez é tipo uma fábrica com uns equipamentos vagabundos funcionando. A intenção provavelmente foi dar o mesmo impacto que a lendária armadilha gigante do clipe de “Kill This Love” mas na prática essa fábrica foi só meio… ok? A melhor parte dessa delícia é que a câmera nunca foca muito no painel pintado ao fundo ou não mostra nada do teto pra não revelar que o clipe todo foi gravado num local minúsculo, algo que é ajudado pelas duas listras pretas na tela. Aqui temos a primeira mudança de peruca da Lisa, com um cabelão vermelho trazido diretamente de algum clipe da Florence + the Machine em 2012.

As gatinhas dão uns closes tacky em frente a um par de asas no bizarro cenário das escadarias, uma referência àquela sua tia que comprou um painel fotográfico de asas como elemento cenográfico principal da festa de 50 anos dela /o/.

Nesse ponto a música tá um cu de tão entendiante, então vamos ao break, geralmente o ponto alto das faixas do BLACKPINK (já que os produtores do grupo nunca conseguem fazer uma faixa convencional com 3 refrões e uma bridge). O que temos a seguir é:

Terrível cenário de calabouço saído de clipes de boybands anciãs.

Terceira peruquinha da Lisa fazendo referência à ecumênica “Hoi Hoi” do Rainbow Pixie, a maior sub unit do K-pop #respect. Tenho quase certeza que alguma garota soltou a palavra “quenga” em algum momento perto de onde tirei essa screencap… olha a cara dela.

Todas usam caríssimas peças de roupa que aquela sua amiga que faz faculdade de moda numa universidade particular usa frequentemente e chama de “quimono”, geralmente comprado em lojas pedantes como AMARO e SHOULDER e que na prática não passam de roupões cortados pela metade e estampados.

O último cenário é uma bagunça quente com um mapa-mundi (? @_@) feito de papel alumínio e dois cavalos de troia que simbolizam exatamente o que “How You Like That” é: esperava um presente musical e vai receber um ataque auditivo mortal.

Pelo menos nesse cenário elas ralam o cu até o chão /o/, algo que tava faltando no clipe até agora, afinal a música é puramente só batida e onomatopeias – e sendo assim elas já deviam ter se esfregado e roçado pelo chão encerado desse estúdio de orçamento médio em posições reveladoras há muito tempo. Ah, umas dançarinas aparecem também e dão umas abaixadinhas com as meninas, servindo como meros elementos cenográficos pra tentar desviar a atenção da extrema sensação de vazio que o clipe inteiro passa.

E o clipe termina com todas as fodonas fazendo pose de misteriosas e colocando a mãozinha na boca, menos a integrante da esquerda que perde totalmente o timing nessa cena final HAHAHAHAH.

Bom… e é isso (?!). Tava esperando muita coisa? Sinto muito então ingênuo chaneler, o clipe é meramente mais um saboroso style over substance dedicado a divulgar a CHANEL e a DIOR, algo que já vem sendo servido há 4 anos consecutivos pelo grupo. Essa foi a nossa singela forma de ganhar views abordar esse comeback do BLACKPINK sem nutrir o ódio eterno dos Blinks, então qualquer eufemismo ou suavização aqui foi totalmente proposital: podíamos ter metido o pau de verdade mas não somos esse tipo de blog.

De qualquer forma está inaugurada a nossa seção RECAPEANDO, e em breve voltaremos com mais comentários safados por cima de screencaps tiradas nas coxas de audiovisuais incríveis ou nem tanto… e prometemos que da próxima vez vamos escolher coisas menos entediantes do que esse clipe daí. Até mais, K-poczinha!

0 Comments

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s