Ru-cap: Rupaul’s Drag Race All Stars S05E09 – Hotéis Trivago

Olá homens de peruca e homens sem peruca que acessam esse blog regularmente e tornam o JESUS USAVA CHANEL um reduto de machos fedorentos e possíveis gays incels que possuem suas vidas resumidas a consumir arte drag e música asiática ❤️. Esse é o panorama do nosso blog porque, de acordo com os sites de estatísticas que usamos, nosso público feminino não passa de 25% /o/. E nada melhor para concluir os nossos planos involuntários de apagamento feminino do que colocar em foco esse reality show que promove um suculento ❤ BLACKFACE DE MULHER ❤ desde 2009, né?

Semana retrasada reclamamos que essa quinta temporada do All Stars não teve um photoshoot oficial… semana passada reclamamos de uma tentativa de photoshoot oficial… e essa semana vamos reclamar da versão mais “oficial” que tivemos de um photoshoot oficial das competidoras… nada mais do que esse desastre photoshopístico daqui:

HUAHAHAHAHAHAHAHAHAH. Não que isso seja muito diferente de outras fotos promocionais de temporadas passadas… o mau gosto de edição gráfica é até parte indissociável da identidade do Drag Race, mas convenhamos que isso aí foi BEYOND. Ignoraremos possíveis análises dos looks porque já fizemos isso no nosso rucap anterior com o único look de uma quenga digno de nota: Geisy Arruda. Bom, vamos ao episódio.

Depois da chocante eliminação da nossa diva japonesa e spokeperson para a associação de surdas de Tóquio, Ayumi Hamasaki, tivemos a chocante revelação de que todas as queens que fizeram um fuzuê pra cima da drag Miz Filomena também votaram na coitada da Ongina, e ela saiu basicamente com 100% de rejeição das queens. No meio disso tudo, a robô Rose McGowan (st. Blair Clair) e o Frank Aguiar do mundo drag (Alexis Matteo) dizem que #odeiam queens que desistem da oportunidade que está sendo dada para elas, aquele papo meritocracia norte-americana que os liberais adooooram mamar. E para o choque de todo mundo descobrimos em um filtro vermelho horroroso de flashback que a própria Ayu votou nela mesma, nos rendendo mais um momento clássico de RuPaul’s Drag Race onde nem mesmo a participante quer estar ali… o nosso Bottom 2 – Desistiu da temporada /o/.

ENFIM

Passando pra essa semana, e deixando os túmulos de lado, voltamos ao fracking room, onde Shea apaga completamente a última lembrança da nossa primeira queen que copiou a Vera Verão em solo norte-americano. E quando a gente acha que superou, Mayhem e Frank Aguiar começam a ir pra cima de Miz Filomena, dizendo que ela foi a culpada por trazer a nossa rainha do j-pop para baixo (nos charts japoneses?), dizendo inclusive que ela não devia fazer esses joguinhos e blábláblá. Óbvio que a gente sabe que a Alexis só tá atuando essa briginha pra ganhar aquele screentime safado da cota de barraco do episódio <3.

O desafio dessa semana é basicamente fazer sua melhor versão de um quarto da AirBnB onde você vai encontrar um hookup do Hornet que não vai passar nem 2 horas com você e que ainda vai dizer que quer gozar dentro porque tá tomando PrEP. RuPaul, nossa melhor holograma da tesla, está cansada de ir em hotéis de apenas 3 estrelas que podem cobrir os luxos de ser uma cacura amargurada e quer que as suas escravas criem ideia para ela marketar mais uma vez em cima daquilo tudo e talvez conseguir um patrocínio da Trivago. Hashtag All Stars 5.

Como esse reality é cheio de falcatruas de produtores, chocantemente descobrimos que os grupos já estão formados, e eles vão ser: o trio Praça É Nossa (Vera-verão Coulée, Velha Surda-Balenciaga e Miz Filomena), o trio Coroas (Frank Aguiar, Milene Pavorô e a Joelma impersonator) e o featuring Rose McGowan e Mayhem Miller – note que não dá nem pra fazer uma apelido com a Mayhem de tão sem graça e inexpressiva… tirando a batidíssima piada sobre a Claudia Cruz que fizemos quando ela viralizou com aquela performance de Drama uns anos atrás. 

Antes do desafio de fato começar somos bombardeados por intromissões da Filomena falando que tem ansiedade, que tem PTSD, que tem isso e aquilo, POP A 911!!! Além disso também rolam outros desdobramentos da briga dela com a Alexis Mateo que não vamos cobrir pois zzzzzzzzroinc.

Durante a preparação do desafio as quengas descobrem que vão ter que pôr a mão na massa, o que rende algumas reclamações das garotas, especialmente o trio das old hags, que obviamente não tão em condições físicas de puxar móveis pra lá e pra cá e pintar paredes sem quebrar um ou dois ossos – apesar de formarem o maior grupo de tonhões do programa atualmente.

Indo do grupo de old hags reais para o grupo de old hags fictícias, Shea, Cracker e Mariah interpretam Nair Bello, Hebe Camargo e Lolita Rodrigues em um quarto inspirado nos saudosos cenários de novelas noventistas e sitcoms como Sai de Baixo. A ideia era interessante mas a execução é uma merda, e na prática as três gostosas só fazem soltar piadas etaristas piores do que aquelas que o JESUS USAVA CHANEL volta e meia usa como forma de chocar o leitor – já que pelo menos as piadas do JU2C funcionam pros nossos 16 leitores, diferentemente das piadas do trio.

O time das véias aparece como milfs gostosas em roupas de oncinha que só milfs gostosas usariam para apresentar um tosquíssimo quarto inspirado em referências culturalmente relevantes da música brasileira como Jaula das Gostosudas e É O Tchan na selva. Isso poderia ser um desastre com a atuação inexpressiva da Joelma e as piadas desconfortáveis da Alexis Mateo, mas a Milene Pavorô salva o desafio bombardeando Michelle Visage e Gabourey Sidibe de piadas problemáticas sobre o sudeste asiático, quase incorporando aquele estereótipo escrachado de mulher asiática ridícula que a péssima Manila Luzon já usou e abusou em temporadas passadas <3.

Drag Aleatória #1 e Drag Aleatória #2 apostaram num conceito Gwen Stefani – The Sweet Escape/Casa da Ana Hickmann e trazem um caríssimo quarto dourado. Óbvio que a ideia é batidíssima e sem graça nenhuma, mas as gostosas conseguem servir um humor drag básico no desafio que no final das contas a gente sabe que foi meramente uma cópia daquela merda de esquete Club 96 do último All Stars.

Detalhe pro chão todo sujo de glitter nesse suculento screenshot da maricona aleatória convidada deitando na cama com a sempre super carismática e felizmente apagada nessa temporada Michelle Visage.

A categoria da passarela é “3 looks em 1”, e nós honestamente já temos um péssimo presságio quando a versão fora da validade da Silvetty Montilla entra no palco vestindo uma peça com três cores e uma lace nada inovadora… mas fazendo justiça à Silvetty Montilla nós afirmamos que nenhuma drag da Blue Space se passaria a usar essa coisa horrenda. Vamos aos looks.

Blair St. Clair abre os trabalhos começando com um look que nos faz achar que ela deu tilt no meio da gravação da season, assim como a Rose Mcgowan que se perdeu total no personagem. O primeiro look é inspirado nos anos 50, e depois a quenga revela um look ainda mais entediante dos anos 60, e finalmente relembra que agora ela é uma drag #crescida que vende #sexo, e faz um lookinho disco muito bonito com uma lace bafo. Nota: 3 atuações da rose mcgowan no filme “Planeta Terror” de 5. 

Parecendo uma palestrante da associação de Crentes do Brasil, Mehem Miller declara que tem inveja do desempenho da Ciara nos charts e revela três looks que tem o mesmo impacto: vão descendo, descendo, descendo e descendo… Nota: 1 peak de #87 na hot 100 de 5. 

Frank Aguiar nos choca servindo um look conceitual que para ela é: a tenda de um circo de beira estrada, servindo um conceito meio Gretchen em uma de suas aventuras cinematográficas. Até aí tudo bem, mas a gata abre a tenda do circo e revela que estamos na verdade assistindo uma homenagem à cacura Ryan Murphy e sua série “American Horror Story: Freak Show”, começa uma coisa, vai para uma coisa diferente e termina sem conexão alguma com a primeira. Nota: 1pico de audiência no canal FX norte-americano de 5.

Nesse ponto o @bubblegumrave já está cansado de editar os looks 3 em 1 e vai meramente roubar as imagens do Draglicious /o/

Joelma Impersonator está realmente empoderada na sua missão de caçar o Rodrigo Apresentador e tomar o seu lugar. Seus três looks são lindos, tem coesão e tem algo em comum com Rod: ambos estão vendendo modelos chanel pirata como se fossem verdadeiros. Nota: 4 quilates das bijuterias de Rod Apresentador que foram sorteadas durante suas Lives no youtube mas nunca entregue aos participantes de 5.

Milene Pavorô decide homenagear party city com seus lookinhos básicos dessa semana, mas arrasa na execução de homenagear algo que nunca mais teremos por conta da pandemia: feriados. Bruxinha com uma linda peruca branca para o halla-o-hímen, depois ela revela ser uma mamãe noel pronta para cantar o sucesso “então é natal” de Simone, e por fim uma coelha da playboy comendo cenouras, sem metáforas engraçadas, no meio da passarela. Nota: 3 feriados emendados de 5.

Miz Filomena tem um momento lady gaga no grammys de 2010 – mas sem todo o drama e a finesse -, vestida de ovo com uns glitters e tenta vender isso como um look…. ok, work. Mas quando o ovo “cracka” – gostaram? – ela sai dele vestindo um belíssimo gown e uma peruca que deixa ela idêntica ao que seria uma Emma Watson impersonator, ou uma dessas brancas ruivas que se chamam Emma na indústria. E no final ainda rasga ele para vender uma versão putinha aborteira desse vestido, revelando que o conceito foi baseado na icônica e brutalmente assassinada Anastásia Romanov. Nota: 4 tentativas da Disney apagar o filme da princesa russa que morreu por uma boa causa de 5. 

Roberta Close apresenta… isso aí. Nota: 0 transgenitalizações de 5.

Por último, provando por a+b que a expressão “deixar o melhor pro final” é real, nossa querídissima, talentosíssima e competente Vera Verão nos serve um dos melhores looks da season, referenciando a lenda Jasmine Masters em sua primeira runaway de RPDR, onde a gatinha fala “eu estava em um casulo e me tornei a borboleta”. Ela serve três looks com uma história coesa e ainda mostra as asinhas da tecnologia intel. Perfeita em tudo que propõe. ÓBVIO QUE É MENTIRA porque esses looks são horrorosos e miseravelmente inspirados nos figurinos e caracterizações crafty apresentados no maior ato club kid da TV brasileira: Castelo Rá-Tim-Bum. Nota: 1 repeat do video da Jasmine Master falando “i was a butterfly in the cocoon” de 5. 

Vamos às deliberações: Milene Pavorô, com seu talento de comediante do Zorra Total vence o desafio – o primeiro desafio que a gostosa venceu mesmo depois de 500 participações no reality -, enquanto as traiwreckíssimas Mariah e India Ferrah vão sem surpresas pro Bottom 3, que é completado por ninguém menos que… Sheazão Coulée. A nossa Vera Verão leva as piores surras na sambica durante os comentários dos jurados, que detonam o look horroroso dela e fazem a fodona tremer na base <3. Bom… as gatinhas decidem seus votos e aí vamos pro Lipsync.

A “”””lipsync assassin”””” da vez é a filha da Bob The Drag Queen, Monét XXT. Ela e Jujubee performam a ecumênica e deliciosa faixa “Juice” da cantora Alexandrismos, um bop que nós do JESUS USAVA CHANEL amamos.

Milene Pavorô tem muitas referências à música asiática, e nesse lipsync ela referencia a Hyomin do T-ara performando Day By Day, já que fica MUITO perceptível que a Jujubee não sabia nada da letra de tombamento e body positivity de Juice. WTF. Enfim, Monétzão massacra a Milene e ganha a dublagem… sendo assim, a vontade da DEMOCRACIA é feita, algo que chocou o cenário político brasileiro.

No final a Roberta Close é eliminada e bom…. ela até que durou bastante. Fazendo jus ao seu nome, Mariah reencena o que a Mariah Carey viveu em 2001 na era Glitter, tendo um desempenho digno de um lead single como Loverboy e de um lançamento de álbum no dia 11 de setembro. RIP deusa, que seu legado continue vivo em suas futuras participações em masterclasses de lacração e empoderamento que estarão por vir assim que a pandemia amornar. E por enquanto é isso gatinhas, voltamos semana que vem com mais análises desse deleite televisivo que até aqui não estressou nenhum integrante desse blog – pela primeira vez nas últimas 4 temporadas! Se você gosta do nosso conteúdo e dos rucaps, então siga a gente no Instagram e curta a nossa página no Facebook, quenga. Support your local gays incels blogueiras. Byeeeennnnn.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s