BICHAFORK: Red Velvet – The ReVe Festival Day 1

Durante algum tempo, o Red Velvet ficou conhecido por suas produções polidas na indústria do K-pop, quando não entregavam um bom material nas suas faixa-título, elas sempre conseguiam chamar atenção para as faixas que não eram trabalhadas, verdadeiras “gems” escondidas em sua discografia. Com seu comeback mais recente, “‘The ReVe Festival’ Day 1”, isso não foi diferente. O EP de 6 faixas que foi lançado ao lado do seu single, “Zimzalabim”, faz menção à palavra “reve” que significa sonho ou fantasia em francês, prometendo transportar o ouvinte através das produções edm-pop-dance e até mesmo um r&b no final dessa viagem. Esse sexto mini-álbum do girlgroup também aconteceu para dar continuidade ao “reinado” das garotas na estação do ano mais disputada da Coreia do Sul, reforçando o título de “summer queens” enquanto ainda estão entregando boas b-sides e, dessa vez, um single fora do convencional e bem diferente dos esforços mais comuns delas nos verões passados.

O grupo de cinco meninas que tem vários hits e uma grande fanbase na Coreia do Sul – e também fora dela -, quase nunca decepciona nas b-sides que se propõem a lançar. O time de produção da sua gravadora, a SM Ent., está sempre visando novas tendências musicais que por vezes colocam seus artistas um pouco fora do que está dominando o mainstream, o que esqueceram nos últimos lançamentos de Red Velvet. “Power Up” e “Really Bad Boy” foram dois extremos que decepcionaram o público que vem acompanhando o grupo há bastante tempo. Sempre mergulhando em conceitos diferentes, para aprofundar ainda mais sua “marca original”, algumas vezes esses conceitos não vão funcionar, mas a beleza do Red Velvet está definida pela redenção – ou reinvenção – que elas costumam fazer.

As donas de hits como “Bad Boy” e “Red Flavor”, aparecem fundidas em “Zimbalabim” – a faixa promocional do EP. Em um eletropop que elas já exploraram pouquíssimas vezes, mas que mostra a potência do grupo como um nome versátil, pronto para se aprofundar cada vez mais nos estudos musicais que seu time propõe. E elas combinaram tão bem. Os produtores não são novos: Hayley Aitken, Ollipop e os outros nomes creditados na faixa, já trabalharam com o Red Velvet em algum momento. O que muda é a importância da faixa como single principal. Além de serem produtores que estiveram presentes no projeto da BBC, LOONA, entregando faixas como “Girl Front” e “Heart Attack”.

O Red Velvet não está exatamente explorando novos produtores, os nomes presentes aqui já apareceram em EPs passados como “Russian Roulette” e “Summer Magic”, o que realmente muda é a posição da faixa que cada um se encontra. Cazzi Opeia, uma das criadoras de “Power Up”, aqui se encontra na faixa “Sunny Side Up!” um pop mais low-tempo, passando o “feeling” de ser uma faixa de verão, e sendo um dos destaques do EP. Bem mais “laid-back” do que o último grande hit do grupo, mas ainda assim encontrando semelhanças com a b-side “Blue Lemonade”, a segunda faixa do EP, está cheia de acordes de guitarra e tem uma leve inclinação à ser uma daquelas músicas quase-reggae. O ritmo mais “relaxado” do pop que elas fazem aqui é revisitado no último momento, em “LP”, onde conseguimos ainda resgatar um pouco o lado “red” do Red Velvet com a adição das batidas 8-bit.

Seguindo os passos de seu último EP de verão, e ainda respeitando a mesma equipe por trás dele – talvez em prol de “repetir” o mesmo raio que caiu sobre o grupo duas vezes -, pouca mudança foi colocada aqui. Talvez por serem todos credenciados da SM Ent, nomes de confiança que já produzem músicas para seus grupos, mas também por ter aquela pitada de medo na hora de realmente ousar e reformular tudo que estava dando certo. Afinal, elas já tinham feito isso no lead single, alguma coisa “palpável” ao grupo deveria ser mantido para não afastar tanto seus fãs. Mas “The ReVe Festival’ Day 1” não é por nenhum meio, um EP ruim, suas faixas são despretensiosas, divertidas e passam essa temperatura que o verão precisa. Entretanto, músicas como “MilkShake” ficam um pouco sem personalidade quando estão entre uma boa e uma ruim.

Muito do 8-bit “característico” do grupo, está presente em faixas desse EP, um bom toque em meio à tanta música temática do verão né? “LP” é uma dessas, ao lado da já citada “Parade”. São faixas como essas que deixam toda a reinvenção de Red Velvet ainda críveis, pois prezam pela originalidade artística da “marca” ao mesmo tempo que buscam a diversificação do catálogo das meninas, cuja viagem entre gêneros é extensa, já que transitam sempre entre o r&b e esse eletropop mais “europeu”, e o uso de synths sempre presente claro.

Mesmo assim, parece que toda “personalidade” foi deixada na faixa-título, como se dessa vez elas não precisassem compensar em todas as bsides. Com algumas esquecíveis, outras bem boas, balanceando um pouco a entrega de músicas de um grupo de K-pop, o Red Velvet ainda fica acima das expectativas, unindo todas suas referências em uma nova versão do grupo – mas sempre nos lembrando que elas continuam as mesmas. “The ReVe Festival’ Day 1” pode realmente ser só um sonho, um vago devaneio de verão em meio à discografia do grupo, mas não deixa de ser uma lembrança de que o seu time ainda se importa um pouco mais com o “trabalho completo” do que outros grupos.


Red Velvet, “‘The ReVe Festival’ Day 1” (2019)
Gêneros:
K-pop, bubblegum pop, r&b
Destaques: “LP”, “Parade”, “Zimzalabim”

Nota: 6,7