TRACK REVIEW: WEKI MEKI – PICKY PICKY

Weki Meki foi um dos últimos grupos a debutar da geração pós-IOI. Com uma proposta teen crush, algo que nem mesmo a Fantagio parecia saber do que se tratava, seus singles não foram exatamente bem sucedidos com o grande público e muito se comentava do potencial que estava sendo perdido ali por conta de escolhas ruins da Fantagio, que já provava seu mal desempenho com os últimos momentos de vida do HELLOVENUS.

Após um sopro de vida com o lançamento de Crush, no ano passado, a primeira música do Weki Meki com versos bem definidos, bem estruturada e com um refrão catchy, as coisas começaram a mudar de figura e o grupo começou a finalmente ser visto como um grupo promissor e que poderia trazer um conteúdo bom, para variar um pouco. Toda a fé depositada em Yoojung e Doyeon estava, finalmente, valendo a pena. Claro que Crush não é lá essas coisas, mas essa mudança foi extremamente significativa para as expectativas de o que quer que estivesse para vir.

É daí que surge PICKY PICKY, o mais novo single das meninas e o melhor da sua carreira até então. Grande parte do carisma de PICKY PICKY vem do fato de que ela soa bastante parecida com produções do Brave Brothers no seu auge do k-pop só que com uma pegada muito mais eletrônica e dance. Curiosamente, a música foi produzida por um dos membros do Electroboyz, que participou de composições de grandes hits da carreira do Brave Brothers, como Miniskirt do AOA.

A estrutura de PICKY PICKY ser chupinhada de singles hits do Brave Brothers é um de seus maiores acertos. Por mais que seja ineficaz ao tentar trabalhar com todas as 8 meninas, algo que a coreografia tenta equilibrar colocando as meninas que menos cantam para ficarem em posições de destaque no refrão, a música é divertida e catchy na medida certa, o que faz com que essas particularidades possam ser facilmente deixadas de lado ao olhar pelo todo. Tudo está presente ali: a intro divertida e em inglês com o nome do grupo sendo citado, a instrumental bubblegum e crescente durante toda a duração da música, o refrão que dita o tom, o pós-refrão extremamente pegajoso e viciante e até mesmo a bridge lenta que faz com que a última parte da música venha de forma explosiva. É Brave Brothers sendo feito em 2019 e é incrível.

O visual de PICKY PICKY deve ser provavelmente uma das únicas underwhelming da música, já que o MV não é exatamente um dos melhores do grupo, nem mesmo alguma das meninas estão em sua melhor forma, mas isso é algo que pode ser facilmente corrigido em lançamentos futuros. O fato agora é que há finalmente uma expectativa positiva em cima do grupo, que parece finalmente ter acertado no seu conceito. E é claro que somos adeptos do lema de que antes mais tarde do que nunca e estamos contentes que o Weki Meki finalmente teve um acerto para poder chamar de seu.