TRACK REVIEW: 'Con Altura' – ROSALÍA, J Balvin & El Guincho

Prosseguindo em sua jornada para se tornar um grande nome na indústria fonográfica, ROSALÍA nos presenteia com versatilidade em “Con Altura”, uma faixa divertida, despretensiosa e fora de seu circuito. Para muitos um grande ponto de interrogação, afinal por quê a cantora conceitual marcada pelo seu ritmo flamenco estaria em uma faixa ao lado de J Balvin e El Guicho? Mas ela segue os passos do hit que a colocou nos holofotes “MALAMENTE (Cap. 1: Augurio)”, entrega-se em um single completamente reggaeton sem deixar de lado sua imposição artística. Afinal de contas, ROSALÍA está se provando, através da sua versatilidade, ser um enigma de toda a indústria.

O reggaeton ficou muito conhecido no Brasil pelas produções de vários artistas, talvez por isso mesmo que alguns fãs da cantora espanhola possam estar com os olhos tortos para a produção mais recente da própria. De fato o ritmo ficou um tanto saturado no nosso país por conta do uso exacerbado de alguns artistas com o ritmo, mas ninguém pode negar que ele consegue ser envolvente em suas particularidades. “Con Altura” entra em um circuito completamente diferente por ser de ROSALÍA, conhecida por suas obras conceituais e seu mais recente álbum “EL MAL QUERER”.

A junção de J Balvin com a queridinha do flamenco não é nova – muito menos seu envolvimento com o gênero. Ambos já fizeram parte da música “Brillo” presente na tracklist de um dos álbuns do “percussor” do reggaeton. E se deu certo uma vez, por quê não repetir a dose com um “quê” de grandeza dessa vez? “Con Altura” presenteou os amantes dos dois artistas com um clipe despretensioso e engraçado, nos levando realmente às alturas com o hit da dupla que deixa claro na música como eles fazem tudo tão rápido, desde se divertir até “pequenas travessuras”.

Produzida por El Guincho – um produtor que não é estranho à ROSALÍA -, é interessante perceber como a construção desse reggaeton se distancia da hibridez da cantora espanhola ao mesmo tempo que ressalta sua versatilidade. Em “EL MAL QUERER” nos acostumamos à um lado mais “conceitual”, onde ROSALÍA estaria interessada em nos contar uma história através das suas inspirações e misturas entre o pop mainstream, e o seu flamenco. “Con Altura” distancia-se de todos esses precedentes provando que a vencedora de dois Grammys Latinos consegue fazer música pop despretensiosa e divertida, ao mesmo tempo que ainda entrega boas produções que tentam fugir da mesmice constante da indústria fonográfica.

A saturação do gênero reggaeton deve-se aos mesmos moldes de construir uma faixa que está sempre se repetindo. Com ROSALÍA e J Balvin conseguimos enxergar uma dinâmica completamente nova e interessante sobre esse mesmo gênero que agitava as festas brasileiras, e os charts norte-americanos no começo de 2018/final de 2017. Acredito que por ROSALÍA marcar a música com sua originalidade artística, o single avulso ficou ainda mais divertido. J Balvin faz seus versos normais de sempre, agregando no que ele pode quando serve de terceira voz repetindo os nomes presentes na produção, mas ROSALÍA entrega um refrão perfeito e uma ponte ainda mais viciante, com melismas vocais e uma sensualidade quase que “nova” para a cantora.

O single mostra um lado de ROSALÍA que nem achávamos que precisávamos, mas estamos gratos por vê-lo. Sua capacidade narrativa de contar uma história ainda está presente com ela, mas ela também pode ser divertida e se aventurar por várias produções que precisam de sua impressão digital artística para automaticamente se tornarem um trabalho que agrade dois lados – o comercial e a “crítica especializada”.

Sem perder as palminhas – presentes na coreografia da música – e a sua originalidade, ROSALÍA ressignifica cada vez mais o que é ser uma cantora que canta em espanhol no meio de um mainstream domado pela norte-americanização de todos os aspectos fonográficos. “Con Altura” mostra a força potencializadora de ROSALÍA como uma “hitmaker” e concretiza ainda mais que a dupla com J Balvin é um caminho ótimo, divertido e despretensioso para a artista que ainda tem muito para explorar. Por favor, continue a nos surpreender.