TRACK REVIEW: As "E-Girls" de Cherry Bullet – "Q&A"

Diretamente de um Nintendo DS, ou de um PS4, o grupo Cherry Bullet traz seu pop 8-bit/bubblegum e consegue marcar-se pela qualidade surpreendente de sua música. Toda estreia deixa uma primeira impressão, quando as músicas não são tão fortes costumamos não ligar mais para os próximos passos dos grupos, mas com Cherry Bullet isso não foi uma realidade. A divertida, despretensiosa e surpreendente “Q&A” brinca com influências que saem de dentro de um videogame, tomando vida nas vozes das muitas meninas que

formam o Cherry Bullet.

As 10 integrantes do Cherry Bullet não parecem ter vivido em épocas onde o Nintendo 64, ou jogos de 8-bit em geral estavam em alta na cultura pop mainstream, mas sua música “Q&A” suga influências claríssimas de jogos como “Megaman” e “Zelda”. A sonoridade do pop sul-coreano sempre tendeu a ir para lados mais bubblegum – ou 8-bit -, lançamentos como “love4eva” do yyxy, “Power Up” do Red Velvet ou até mesmo “Gee” do Girl’s Generation, se banhavam nessa fonte para entregar uma sonoridade que combinasse mais com a imagem que o grupo queria passar. Cherry Bullet não fez diferente, combinou todas as referências de música eletrônica que tem e colocaram em uma mistura de videogame/desenho animado que deu certo, resultando na extremamente poderosa “Q&A”.

A grande diferença do Cherry Bullet para todos esses lançamentos é que elas escolheram uma vertente muito mais cabível: um grupo que simula várias e-girls e tem sua imagem associada a videogames. O conceito inteiro do debut do girlgroup foi baseado em pequenos “mechas” – robôs/vestes mecanizadas que são controladas de dentro por uma pessoa – divididos para cada integrante do grupo. Um conceito futurista, millenial e tecnológico que não deixa de ser inovador, abordado por poucos grupos na Coreia do Sul. Todo esse conceito faz com que a sonoridade 8-bit não seja um “desperdício” ou extremamente “fofa” como fizeram em músicas como “Gee”. A música delas é forte, marcante e o mais importante, memorável.

Diretamente associadas ao grupo veterano “Oh My Girl”, o Cherry Bullet trouxe muitas pautas interessantes para a mesa. Enquanto suas letras ainda tendem a caminhar nas mesmices do gênero sul-coreano, sua sonoridade pega um pouco daqui e dali para fazer a experiência gaymer-8-bit ser completa só através da música. Durante a faixa, é comum ouvir sons típicos de um jogo onde você precisa selecionar um personagem para seguir sua história, assim como também é comum ouvir as batidas de synth ao redor de toda essa produção, e a voz das meninas em coro uníssono na repetição da “hook” da música.

O debut de Cherry Bullet pode não ter soado como “groundbreaking” exatamente por ter influências muito claras no pop sul-coreano, mas sem dúvidas é um dos mais divertidos e inovadores dentro do sub-gênero 8-bit. A experiência de completa imersão sobre o mundinho da faixa é de viciar qualquer um, provando a longevidade do single e a força que ele tem por ser a primeira “impressão” que temos do Cherry Bullet no mercado fonográfico da Coreia do Sul.

O single das meninas não é uma “invenção” da própria gravadora dela, mas destaca-se pela releitura do 8-bit, ao lado do eletrônico e o dance pop que domina a maioria das discografias de todos os girlgroups. “Q&A” traz à tona temas que são comuns para uma estreia de um grupo, onde elas perguntam para um “par romântico” o que eles querem de verdade, e esperam que essa resposta consiga alcançar todas as suas expectativas. Tudo isso com os

vocais das meninas que não são de se jogar fora.

Não há dúvidas de que “Q&A” foi uma ótima forma de conhecer o que esse grupo tem a oferecer ao K-Pop. A faixa que transcreve ritmos diferentes em um sub-gênero do pop dance faz com que o Cherry Bullet não passe despercebido. E sem dúvidas, a proposta do grupo nos faz pensar como que pretendem manter o grupo no mesmo conceito, sem que desgastem a imagem das meninas.