Top 10 Singles do Nine Muses

Depois de tantos descasos, o Nine Muses infelizmente chegou ao seu final. O grupo que debutou em 2010, com a premissa de trazer Modelos&Cantoras (algo que a Sky Ferreira já fazia há um tempo), ficou conhecido entre os ouvintes internacionais de música pop coreana como um dos melhores. E não foi só pela beleza extrema das meninas, mas também pela jornada do herói que esse grupo merecia: suas produções, suas coreografias e suas músicas eram como nenhuma outra no mercado fonográfico sul-coreano. Quase dez anos depois da estreia do grupo, com apenas uma integrante da line-up original, é uma pena que o K-pop tenha que sofrer essa imensurável perda.

Com um nome inspirado nas nove musas da mitologia grega, o Nine Muses não começou de forma discreta. Sua primeira música foi uma trilha-sonora de um dorama (como são chamadas as séries sul-coreanas) que foi apresentada no palco do “Dream Concert” (nome de um festival popular na Coreia do Sul, contando com a presença de grandes nomes). Mas infelizmente nada disso reverberou, o single oficial de estreia “No Playboy”, sofreu com acusações de plágios de outro grupo de nove garotas, o SNSD, e desde então elas não conseguiram sair dessa “maldição”.

Integrantes já saíram no primeiro single, enquanto novas iam entrando, até finalmente formarem-se por nove meninas. Independentemente, o nível de qualidade das músicas que entregavam nunca deixava a desejar. O Nine Muses é/era um dos grupos que nunca decepcionava e estavam sempre se mostrando versáteis, mas sem perder o apelo original do grupo. Mesmo que sua trajetória não tenha sido tão grande, ainda foi consideravelmente boa, e por isso, o Jesus Wore Chanel traz um top 10 dos melhores singles do grupo.

10. “REMEMBER”, Muses Diary Part. 2 (2016)

Com apenas 4 membros, o Nine Muses ainda seguia firme e forte. “REMEMBER” é a prova viva da luta das meninas por ainda tentar fazer o grupo acontecer. A slow-tempo que gradualmente se transforma em uma surra de synth tem espaço aqui justamente por ter um twist dramático na faixa, uma carta embaixo da manga que sempre configurou a qualidade ao Nine Muses. O refrão é um resumo de todos os lançamentos edm do grupo, e as vozes de Kyungri, Hyemi e Keumjo fazem coisas divinas juntas.

09. “No Playboy”, Let’s Have a Party (2010)

Produzida pelo vice-presidente da JYP Ent., Rainstone, a música de debut considerada “mais fraca” da história é na verdade um hit pronto. “No Playboy” pode ter pecado pela distribuição de papéis errada (as duas futuras rappers aqui tentam atingir notas agudas), mas nunca pela sua produção europop. Chegando até mesmo a ser comparado com a melodia do hit “Tell Me Your Wish (Genie)” do Girl’s Generation, quase como uma “versão adulta” da canção conhecida, “No Playboy” recebeu tantas críticas que faz até você repensar se é uma música ruim, mas a realidade é outra. O single de debut de Nine Muses é catchy, classudo e tem uma esque “Kylie Minoguiana” muito pertinente.

08. “Hurt Locker”, 9Muses S/S Edition (2015)

Fazendo um comeback que soasse “fresh” para o próprio grupo, o Nine Muses resolveu adotar o verão como a data de lançamento de “Hurt Locker”, e como isso foi cabível. A música que exala “verão”, é uma faixa edm com um refrão viciante e um rap feito pela ex-musa, Euaerin, produzida pelas mesmas mãos que fazem músicas para artistas como f(x) e EXO. A música ainda vendeu decentemente para um lançamento do grupo, provando que elas estavam mais vivas que nunca. O álbum em que a faixa está inclusa, “9Muses S/S Edition”, pintou até mesmo no top 10 do Billboard World Albums Charts.

07. “Gun”, PRIMA DONNA (2013)

Colaborando com o duo de produtores sul-coreanos, Sweetune, “Gun” se tornou o lead-single do primeiro álbum de estúdio das meninas – que só haviam lançado EPs até então. A música mistura um retrô classudo de Nine Muses, indo do blues ao jazz, flertando com uma guitarra eletrônica e batidas ocidentalizadas. “Gun” marcou também uma era onde o Nine Muses estava finalmente com Nove Musas, e o sucesso do grupo estava estabilizado como algo não muito estrondoso, mas nada miserável. O clipe da música ainda conta com uma das membros, Hyuna, fazendo alusão a penetração com uma pistola de gasolina na moto de um modelo aleatório.

06. “Glue”, Glue (2013)

Já no finalzinho de Dezembro, do mesmo ano em que seu primeiro álbum foi lançado, o Nine Muses surpreende a todos com um comeback atípico. “Glue” flerta com influências disco ocidentais muito fortes na música dance, conseguindo assim manter a sua linha “retrô” e ainda arriscar em outras sonoridades. Produzida também pelo Sweetune, a música tem um refrão catchy, difícil de não repetir e conta com quatro versos de rap por Euaerin e Eunji, deslumbrando a todos que escutam.

05. “Dolls”, Dolls (2013)

Abrindo o mês de Janeiro com a primeira formação de 9 integrantes desde o seu debut, o Nine Muses lança o bop-jazzy “Dolls”. Não sei pelo que essa música é mais notável, por sua produção que flerta claramente com o jazz ocidental, sua guitarra eletrônica ou pela ousadia de unir o dancepop a todos esses elementos. “Dolls” é uma das músicas mais viciantes da carreira do Nine Muses, os saxofones no refrão entram como uma grande celebração de que o grupo estava finalmente completo, e é dessa maneira que eu encaro o lançamento dessa música: uma celebração o futuro brilhante – ao menos qualitativo – que as esperava pela frente ao mesmo tempo que uma consolidação do tipo de K-pop que o Nine Muses faria.

04. “Ticket”, Sweet Rendezvous (2012)

“Ticket” é, e sempre, será uma das melhores músicas do Nine Muses. Esse fato é vindo de vários fatores, um deles é pelas influências tecno-bregas da faixa que nos remetem ao que Pabllo Vittar está lançando hoje em dia com o seu pop-nordestino. Outro é pelo refrão muito bem construído, tão viciante que nos deixa horas pensando nela. “Ticket” foi o lead single do primeiro mini-album das meninas, e sinceramente essa música colocou o Nine Muses no cenário “underground” de grupos de k-pop que lançam músicas incríveis, atrás de músicas incríveis, e mesmo assim não ganham reconhecimento nenhum. Obrigado por esse arrocha incrível Nine Muses, revolucionou a música sul-coreana que futuramente iria abordar o ritmo em grandes hits como “Cheer Up” do Twice.

03. “WILD”, WILD – EP (2013)

O ano é 2013, a Coreia do Sul ainda não conhece o Nine Muses como deveria e o país em si continua extremamente conservador. Qual o próximo lançamento das gatas? Um onde elas afirmam: lésbicas futuristas, sapatonas convictas…Isso mesmo, “WILD” é um dos melhores lançamentos do Nine Muses por ser EXTREMAMENTE ousado, arriscado e refinado. A produção da música bebe diretamente da fonte do pop Europeu, misturando um pouco de edm e ainda tendo claras pitadas de “retrô” – pela presença de algumas guitarras ao fundo durante os versos. “WILD” é o video com mais visualizações do grupo no Youtube, mas não é exatamente por isso que ele está aqui. A coragem e ousadia do time de produção por trás de “WILD” precisa ser sempre exaltado, quiseram se espalhar na imagem de “Lee Hyori” e entregaram uma canção extremamente sexy, sem se preocuparem com o que diriam delas.

02. “News”, News (2012)

O europop sofisticado do Nine Muses teve seu início em “News”. As musas tinham acabado de adicionar mais uma menina para o grupo, Kyungri, e esse single foi uma maneira incrível de mostrá-la para o mundo. A classe que essa música exala é transcendental, talvez pelo fato do Nine Muses misturar sua marca original com os synths transportados diretamente dos anos 80 para essa faixa, ou pela sua semelhança com as músicas do duo britânico, Eurythmics. De qualquer forma, “News” foi um lançamento excepcional para o grupo, algo inovador para o K-pop em si que ainda não bebia das fontes dos anos 80/90 em suas produções. Mesmo que não tenha causado impacto “comercial”, sem dúvidas certos grupos estavam assistindo de longe, prontos para acatar a prática se desse certo.

01. “Figaro”, Figaro (2011)

Disco perfection, surra de synth, chuva de benções = Figaro do Nine Muses. Determinadas a voltarem aos holofotes depois de todas as críticas ao seu debut, o grupo resolveu voltar realmente com todos os truques na manga. “Figaro” foi lançada como single digital em 2011, e sua produção é provavelmente uma das melhores já feitas na Coreia do Sul. A música é tão envolvente, tão gostosa de ouvir que até quem não gosta do gênero vai esquecer das reservas que tem para curtir o som retrô feito aqui. Os anos dourados da era Disco dos Estados Unidos voltam a vida com “Figaro”, vivendo na pele das sete Nine Muses, em um refrão extremamente épico, com uma música que nos remete a grandes hits como “Hot Stuff” de Diana Ross, e “I Will Survive” de Gloria Gainors. Além disso a faixa também conta com uma hook viciante, onde usam e abusam da repetição de palavras, deixando tudo mais atmosférico. “Figaro” é a música que devia ser uma grande celebração do que foi o grupo Nine Muses, e é por isso que ela figura o primeiro lugar na nossa lista. Ela foi o “começo” da marca original do grupo, e desde então vive seu legado através dos lançamentos das meninas.

Infelizmente o Nine Muses veio a falecer na segunda semana de fevereiro de 2019, mas nunca serão esquecidas por todo seu esforço em tentarem sempre figurar o mainstream sul-coreano, mas óbvio, sem perder a originalidade artística que as marcou. Uma grande aula de como serem o maior grupo da música sul-coreana.