DUELO: Fala Sério, Mãe! x Lady Bird

Hoje é um dia muito especial para o JESUS USAVA CHANEL. Estamos inaugurando uma nova categoria aqui nesse blog, a categoria de DUELOS, em que pretendemos fazer posts ao longo de 2019 assim que tivermos pautas que acharmos relevantes o suficientes para tal /o/ E para começar com tudo, vamos falar sobre LADY BIRD e FALA SÉRIO MÃE, em homenagem ao aniversário de uma de nossas musas inspiradoras, Larissa Manoela, que comemora 18 anos na data de hoje, dia 28. Vamos comigo?

Para o duelo, selecionei algumas categorias que irão me ajudar a determinar qual película é a melhor. Cada uma delas vale um ponto e no final quem tiver mais pontos será o grande vencedor do duelo!

1. A MÃE

2. A FILHA

3. DINÂMICA DE MÃE E FILHA

4. INTERESSE(S) ROMÂNTICO(S)

5. NÚCLEO DE SECUNDÁRIOS

6. CENA DO AEROPORTO

Não precisa nem dizer que vai ter spoiler né? Vamos discutir pontos importantes da trama dos dois filmes logo se você não assistiu ainda algum desses (ultraje!) e não quer ser spoileado, é a sua hora de fugir desse post. Caso esteja tudo certo contigo, continue comigo /o/ Confiram abaixo o trailer de ambos os filmes antes de começarmos oficialmente o primeiro duelo do JWCC


1. A MÃE

Se de um lado temos Ingrid Guimarães (Fala Sério, Mãe!), atriz renomada de humor no Brasil, que carrega recordes de público no cinema nacional com filmes campeões de bilheteria em seu currículo, do outro nós temos Laurie Metcalf (Lady Bird), atriz premiada com 3 Emmys e 2 Tonys, além de ter sido indicada ao Oscar no ano passado por sua performance. Levando em conta as suas personagens, Ingrid traz muito mais nuances em sua performance como Ângela Cristina. Ela navega por diversos sentimentos durante toda a duração do filme e ainda consegue entregar ótimas piadas com o timing cômico que todos sabemos que Ingrid tem. Já Laurie traz uma veia muito mais dramática e melancólica para sua Marion, que não demonstra a todo tempo mas consegue se parecer uma mãe muito crível e facilmente identificável para o grande público. Mesmo assim, por Ingrid ser realmente a personagem central da trama e conseguir carregar ela com leveza e maestria, quem leva o ponto aqui é Fala Sério, Mãe!


2. A FILHA

Essa categoria é do mesmo nível de dificuldade que a anterior. Larissa Manoela (Fala Sério, Mãe!) e Saoirse Ronan (Lady Bird) são ambas as Meryl Streep teens, cada uma representando o seu país. Em seus respectivos filmes, elas protagonizam ótimas histórias de coming of age, na descoberta das coisas no período da adolescência até o momento em que elas precisam lidar com a vida adulta e o mundo fora do aconchego (? debatable) da casa dos pais. Maria de Lurdes e Christine McPherson são bastante parecidas na maneira em que encaram as suas vidas e as coisas que a acercam e dá para traçar um paralelo bacana entre as duas. O ponto aqui, no entanto, vai para quem tem mais consciência de seus atos e simplesmente corre atrás de seus sonhos virando DESIGNER AOS 16 ANOS depois de entrar em uma loja de roupas e resolver pedir para ajeitar as vitrines e conseguindo um emprego por lá mesmo e recebendo ainda mais do que sua própria mãe recém-divorciada. Isso mesmo, pode pegar seu ponto Lari, deixando Lady Bird na poeira finalizando 2 pontos para FSM nessa rodada @_@


3. DINÂMICA DE MÃE E FILHA

Tanto Fala Sério, Mãe! quanto Lady Bird tem como base principal da sua história o relacionamento entre uma mãe e uma filha. Por mais que em FSM nós acompanhemos como a dinâmica vai mudando de acordo com o tempo que vai passando e a Maria de Lurdes vai crescendo e amadurecendo, enquanto sua mãe parece não acompanhar esse mesmo ritmo, em Lady Bird nós passamos por um curto período de tempo, onde a dinâmica acertada permanece durante os 90 minutos de duração do filme. Marion e Lady Bird se bicam e se amam 24 horas por dia e é algo muito mais natural de se ver na tela. Nos prendemos às personagens e as histórias que elas querem nos contar e é por isso que o ponto aqui vai para Lady Bird, que mostra sinais de vida ainda, fazendo o seu primeiro ponto.


4. INTERESSE(S) ROMÂNTICO(S)

Em um duelo de brancos feios, alguém tinha que se sair pelo menos um pouco melhor né? Nunca em sã consciência eu daria algum crédito para João Guilherme (Fala Sério, Mãe!), que é a pior coisa do filme, interpreta um personagem insosso e ainda é ex-namorado da musa Larissa Manoela. Sem contestar, o ponto vai para Lady Bird, que empata no duelo por ter dois twinkzinhos padrõezinhos que são talentosos e até bonitos (há controvérsias)


5. NÚCLEO DE SECUNDÁRIOS

Em mas uma categoria incontestável, Lady Bird abocanha o seu terceiro ponto e passa na frente de Fala Sério Mãe. Tudo isso acontece porque todos, ou pelo menos a grande maioria, das personagens que aparecem em Lady Bird e não são parte do núcleo mãe-filha tem algum tipo de importância para a trama. Enquanto em Fala Sério Mãe temos apenas o pai e o namorado da filha servindo de algo para a narrativa, aqui nós temos a melhor amiga, os amigos que ela quer impressionar, a freira diretora do colégio, o padre que dá aula de teatro, o irmão e a sua namorada… Todo mundo tem a sua parcela de história para contar e conhecemos suas motivações, mesmo que todos eles estejam conectados por causa de uma pessoa só, que é a protagonista. É uma história rica e cheia de personagens e por isso que o ponto vai automaticamente para o filme da Greta.


6. CENA DO AEROPORTO

O que mais chamou atenção para quem assistiu ambos os filmes é a maior coincidência vista perto do finalzinho. Tanto Marion quanto Ângela acabam brigando com suas filhas por não aceitarem que elas querem se desprender delas e trilharem seus caminhos por aí mundo afora. Lady Bird quer ir para Nova York e Maria de Lurdes quer ir para Londres. Lady Bird passa numa universidade em NY e Maria de Lurdes recebe uma bolsa de estudos em Londres. Ambas contam com o apoio do pai e a represália da mãe. O que acontece depois que a notícia chega para suas respectivas mães é simplesmente desprezo e silêncio. Marion e Ângela não sabem lidar com o fato de que suas filhas cresceram e não exatamente precisam mais delas, especialmente Ângela, que tinha uma relação muito mais forte de dependência com a filha. Na hora da despedida, Marion não sai do carro pois alega que o estacionamento do aeroporto é muito caro e Ângela nem vai até o aeroporto para deixar a filha. Um momento de catarse é instaurado e elas sentem que precisam se despedir, não importa quão chateadas elas estejam com suas filhas. Elas são mães, ora bolas. Marion não consegue chegar a tempo e é a cena mais linda/triste do filme. Ângela consegue e causa o mesmo efeito. Por terem feito cenas tão bonitas e terem revelado tanto com tão pouco, ambos os filmes pontuam aqui.

Com isso, Lady Bird é o filme venc—

NÃO,

PERA AÍ

mas é claro que haveria uma twist *o*

Como hoje é o aniversário da princesinha Larissa Manoela, Fala Sério, Mãe! ganha automaticamente 18 pontos pelos seus 18 anos de vida e esmaga Lady Bird, se tornando o vencedor de nosso primeiro duelo do JWCC!

E aí amores, gostaram do resultado? Acharam roubado? Gostaram do duelo? O que vocês querem ver por aqui? Comentem aqui ou interajam conosco lá no Twitter /o/ Vamos amar saber a opinião de vocês ❤