Os 10 Melhores Clipes da Jolin Tsai

A boleira mais aclamada de Taiwan está de volta aos holofotes, com sua crítica social foda “Ugly Beauty”. E em comemoração a sua volta, mas também ao fato de que esse clipe é o mais caro da carreira da cantora, o Jesus Wore Chanel te guia através da carreira da gata fazendo um top 10 das melhores obras audiovisuais que ela já teve ao longo de seus 19 anos na ativa. Entre alguns “Phony Queen’s” e outros “Ugly Beauty’s”, a evolução da cantora é inegável, sendo uma das maiores produtoras de conteúdo da Ásia e a maior advogata dos direitos LGBT por lá, é claro que seus trabalhos se destacariam pela sua qualidade.

Jolin Tsai, simplista e exagerada, sempre entrega clipes crocantíssimos e que mesmo deixando a desejar em algumas partes, suprem essa falta por outras. Sem mais delongas, vamos a grande lista dos melhores clipes da gata:

10. “Black-Haired Beautiful Girl”, Myself (2010)

Living the diva pop fantasy nesse aqui, a Jolin Tsai simplesmente deu um clipe que envelheceu muito mal, mas que deixou as gayzinhas de Taiwan LIVING em 2010, pois ele tem tudo que uma grande lgbt gosta: roupas luxuosas, estátuas gregas e muita bateção de cabelo tá boan? Mesmo que um close ruim aqui e outro ali, Jolin Tsai entregou um clipe com a fotografia equivalente a uma novela das 21h do Walcyr Carrasco e ainda aproveitou para parecer uma vilã rica da mesma obra.

09. “Dr. Jolin”, Muse (2012)

E homem pode ficar grávido??? No clipe de “Dr. Jolin” pode sim. Uma das obras visuais mais engraçadas da cantora até então, mas que contém uma substância atrás: a inversão dos padrões de gênero. Jolin Tsai coloca homens em salto alto travestidos de enfermeiras, um casal heterossexual mas com papéis sociais invertidos, tudo em seu melhor look Lady Gaga meets Grey’s Anatomy.

08. “Agent J”, Agent J (2007)

Lançado em 2007, do álbum de mesmo nome, “Agent J” mostra Jolin Tsai em sua melhor forma: uma Charlie’s Angel perdida. Mesmo que o clipe grite “2007” quando o assistimos agora, ele transmite tudo que um clipe pop precisa: luzes, cabelos ao vento, coreografia e uma historinha para não ser muito esquecível. Embalada em um pole dance sensual, ouvimos tiros e perseguições de polícia atrás de toda a dança envolvente que Jolin Tsai faz para suas fãs que também são pocs de balada, até sermos agraciados por um final em aberto. “Agent J” é um clipe suculento e muito acima da média para época em que foi lançado, um clássico.

07. “Honey Trap”, Myself (2010)

“Gimme your satisfaction, I want your satisfaction, gimme you-”, cadê as femmebots online? Como sempre a Jolin Tsai sempre pensando na representatividade de seus clipes, em “Honey Trap” a cantora veio para representar todas as meninas robóticas que gostam de um sexo virtual. Brincadeiras a parte, o clipe parece ter sido uma grande produção para a indústria da música de Taiwan, com direito a cenários memoráveis e um break incrível de voguing protagonizado pela própria Jolin Tsai. Sem contar que a música em si já é uma delícia de ser ouvida.

06. “We’re All Different, Yet The Same”, Play (2014)

Sendo um dos maiores nomes que lutam pela causa LGBT em Taiwan, Jolin Tsai chocou a todos ao levar discussões tão importantes em um clipe: a união estável homoafetiva. O clipe de “We’re All Different, Yet The Same” conta uma história bastante emotiva, com um casal lésbico protagonizando os quatro minutos de duração. Jolin interpreta uma esposa que está no leito de um hospital, enquanto uma outra atriz representa a sua companheira, que não consegue acompanhá-la exatamente por não ter uma união estável no papel. Na época em que foi lançado, os direitos LGBT’s no país eram limitados, o casamento do mesmo sexo não era defendido por lei, ou seja, ser uma das maiores cantoras do país e levantar essa bandeira, trazendo questões tão fortes para todos, enquanto ainda protagoniza um beijo lésbico romântico no final, é extremamente impactante. Sem contar na narrativa dramática que é contada com a balada triste ao fundo, cuja letra não vai para longe do tema de casamento. Por isso, “We’re All Different, Yet The Same” pinta no nosso ranking de melhores clipes da carreira de Tsai.

05. “I’m Not Yours (feat. Namie Amuro)”, Play (2014)

Feminista, rainha do tanque, tanque de guerra, anti dominante! “I’m Not Yours” é um featuring com a cantora aposentada pelo INSS, Namie Amuro, onde ambas estão em seu melhor look cafetina asiática e recebem um bando de macho sujo que exigem de seu grupo seleto de meninas, comida, abrigo e bebida. O clipe segue com uma fotografia incrível e closes de Jolin Tsai e Namie Amuro sozinhas, juntamente com o batidão farofento da música e a incrível linha: “We’ll still shine like disco ball”. As gatas agradam aos MACHISTAS que aparecem por lá como se nada tivesse acontecido, até a hora do break da música, onde descobrimos que os homens foram envenenados por elas e simplesmente morrem, mas o auge de tudo é quando o breakzão continua depois desse assassinato em massa. Namie Amuro e Jolin Tsai são reveladas como Kitsunes, um mito japonês sobre raposas que são capazes de se transformar em assassinas em série.

04. The Great Artist”, Muse (2012)

Em “The Great Artist”, Jolin Tsai incorpora elementos do passado e do futuro ao se colocar como integrante de uma elite intelectual sci-fi. Os visuais desse clipe exalam riqueza: são elementos da aristocracia traduzidos para uma visão futurista “Alexander McQueeneziana”. O clipe demarca claramente uma revolução na imagem da cantora: suas referências artísticas são mais modernas, assim como as frames do clipe são muito mais polidas. O clipe já começa com uma carruagem futurista e o close em vários “personagens” da tal elite intelectual que ela parece fazer parte, prestigiando um “grande artista” da sua época, já a narrativa gira em torno de um garanhão que quer conquistar Jolin e ao mesmo tempo se envolve com outras mulheres na sua frente. Tudo se resume em um grande tapa na cara em slow-mo que nos remete a uma grande pintura renascentista. O ápice criativo de Jolin Tsai.

03. “Fantasy”, Muse (2012)

Marcando-se como potência artística vanguardista de clipes em Taiwan, Jolin Tsai cria um mundo utópico onde todos os seres são iguais e o amor é a força maior. Com visuais marcantes por serem únicos, um conceito bastante original e a imagem de Jesus em uma cruz de cristal, “Fantasy” se consolida como um dos melhores clipes da carreira da cantora até agora. O “novo jardim do Éden” é composto por casais gays, mulheres desinibidas e todos os tipos de amores, cheios de cores vívidas e looks extravagantes da própria Jolin, a aura “heavenly” se perpetua por toda duração, inclusive em uma cena incrível de dança onde parece ser a “porta” de entrada do paraíso. Jolin Tsai faz algo parecido com “Born This Way” de Lady Gaga, lança uma obra visual para acolher a comunidade, equivalente ao impacto da música, mas é pela sua originalidade de criar novos marcos visuais e tornarem-os seus que “Fantasy” aparece no nosso top 10 como um dos melhores clipes da carreira de Tsai – destaque para a incrível cena onde há uma alusão a “sair do armário” em sua forma mais high fashion possível.

02. “Play”, Play (2014)

Esbanjando criatividade, Jolin Tsai simula um “The Sims” no clipe de “Play” onde ela vive na pele de vários personagens em situações sociais diferentes. A “Rainha Rica”, a “Super estrela”, a “Hipster” e a “Personal Trainer” vivem em camadas distintas da sociedade, Jolin Tsai interpreta a todas enquanto mostra a verdadeira máscara daqueles internautas que vivem nas suas redes sociais criticando toda onda nova da internet. Na música, Jolin diz “eu vaio a todos, mas interpreto a todos”, deixando claro que essas pessoas que dedicam seu tempo a criticar tudo que acontece de novo são as que mais se inserem nessas mesmas tendências. Jolin Tsai critica-os da melhor forma, em um clipe divertido com direito a “nudes” da própria cantora e um time de drag queens malhando na academia. Pela sua malemolência em criticar tão criativamente um grupo de pessoas que se escondem por perfis fakes na internet, é que “Play” se torna um dos melhores clipes a acontecer na carreira de Tsai.

01. “Ugly Beauty”, Ugly Beauty (2018)

O clipe mais caro da carreira de Jolin vem munido de uma crítica social pesada. Claro que a imagem artística da cantora já está atrelada à essas provocações a sociedade, mas o que mais impacta em “Ugly Beauty” é que a música e o clipe sumarizam os 19 anos de carreira de Jolin Tsai. No clipe vemos a cantora abraçando as críticas que fizeram a ela ao longo de seu tempo nos holofotes, ela não perdoa ninguém: as mídias, os fãs e a sociedade em si, todos exigem algo dela, criticando-a pelos seus erros e celebrando-a pelos acertos. Em “Ugly Beauty” ela mostra que é preciso abraçar esses dois lados, e fez isso tudo com várias trocas de cenário e um CGI de dar inveja em qualquer um, um budget de quase 500 mil dólares, quebrando seu próprio recorde. E pela significância de todas as partes desse clipe para a carreira de Jolin Tsai – já que ela abraça todas as coisas ruins que falaram dela nesses 20 anos de carreira -, é que “Ugly Beauty” se torna o melhor clipe da diva de Taiwan.