Yubin – "Thank U Soooo Much"

A Yubin debutou como solista na metade desse ano já soltando uma das melhores músicas que o K-pop rendeu em tempos recentes – e que sem dúvidas vai figurar nas listas de final de ano do JESUSWORECHANEL-, a ofensivamente viciante “Lady“. Tudo bem que a faixa não gerou tanto hype quanto o esperado e que representou uma estreia solo altamente bagunçada, mas ela definitivamente jogou pro alto os parâmetros de música boa em 2018… e talvez por esse motivo eu já esperava que o lançamento seguinte da Yubin não ia conseguir chegar lá muito perto da efervescência retrô que “Lady” foi… e bom… cá estamos nós tirando a prova dos nove.

Thank U Soooo Much” é a faixa título do segundo single-álbum da morena, o “#Tusm”, e vem com a singela missão de fazer tudo o que “Lady” não conseguiu meses atrás: abrir espaço para que a Yubin tenha uma carreira solo bem sucedida, fazer o público lembrar que a gata existe e também deixar ainda mais claro que os talentos dela vão muito além do mero papel de rapper que ela teve em boa parte dos seus 10 anos de Wonder Girls. É claro que a música não vai conseguir atingir nem 10% desses objetivos, mas a questão é: mesmo que ela não supere sua predecessora, será que “Thank U Soooo Much” tem o que é necessário para manter a Yubin como uma figura viável no catálogo cada vez mais diversificado de solistas coreanas?

Enquanto a faixa e as estéticas que a cercam mantém uma coesão entre os lançamentos da artista (que basicamente reclamou o conceito retrô como seu na tentativa de continuar com o estilo já consagrado pelas Wonder Girls), musicalmente “Thank U Soooo Much” oferece muito pouco daquilo que a gente esperava encontrar nesse comeback: a música é tão agradável quanto esquecível e não adiciona lá muita coisa à já curta singlegrafia da Yubin. Bem menos inspirada pelo city pop japonês e mais alinhada ao revival da música disco que já vem inundando a música pop há alguns anos (mas que nunca ganhou muita força no K-pop por algum motivo), o single tem batidas dançantes envolventes e que são mescladas com guitarrinhas funky e um som bem distinto de assobio que é a base instrumental do trabalho.

A produção pega claras influências dos trabalhos mais recentes do Nile Rodgers e Giorgio Moroder, seja no último álbum do Chic, seja nas colaborações desses artistas com diversos nomes em voga na música atual, o que inclui atos como Daft Punk, Lady Gaga e Kylie Minogue. Apesar de serem inspirações meio óbvias (afinal, Rodgers e Moroder foram de fato os nomes mais importantes da produção na era disco), elas poderiam ter rendido um resultado interessante na faixa da Yubin, visto o tom fresh que a música disco possui no K-pop pela falta de experiências coreanas com esse tipo de sonoridade, além da possibilidade de se criar materiais pop interessantes e catchy com esse gênero musical… a questão é que infelizmente nada disso aconteceu.

“Thank U Soooo Much” é, para todos os efeitos, safe. A música se mantém em um mesmo humor durante os seus mais de três minutos e nunca chega a um ápice ou a um momento inesperado – e não que a linearidade da faixa em si seja algo ruim, mas ela dá uma impressão de que nada realmente importante acontece durante todo o seu tempo de duração. Parte dessa sensação de tédio que a música passa talvez venha de seu refrão, que não possui muito destaque e ainda é um tanto disfuncional, cheio de buracos e que nem de longe lembra o nível de vício e pop perfection oferecido pelo refrão de “Lady” (e seu pós-refrão, ainda mais importante).

Interessante o suficiente, o que salva um pouco o single é a sua letra, visto que “Thank U Soooo Much” dá uma visão incomum sobre um fim de relacionamento – a Yubin relata aquele momento #awkward de um término onde há coisas que precisam ser ditas com sinceridade mas também há coisas que ficam melhores quando não pronunciadas. Não que a faixa seja um primor lírico, mas a honestidade sentimental com que a letra é passada ao menos quebra a rotina de letras lugar-comum sobre relacionamento no K-pop e dá uma nova dimensão de como a Yubin é uma letrista talentosa.

E é… talvez eu tenha sido um tanto injusto com esse lançamento, mas o alto patamar musical configurado por “Lady” acabou trazendo a necessidade de uma ouvida mais exigente e atenciosa ao material da Yubin. De qualquer forma o single é inofensivo, dançante na medida certa e quem sabe envelheça bem o suficiente para ganhar novos significados e melhores avaliações subjetivas com o tempo. O visual pelo menos não vai envelhecer lá muito decentemente porque né… retrowave já deu, girlies. Podemos partir para a próxima tendência assim que possível.