Tudo Por Um Popstar: um caça-níquel divertido e extremamente despretensioso

Recentemente, Thalita Rebouças, uma autora de livros destinado ao público infanto-juvenil, se tornou o centro das atenções por conta da adaptação cinematográfica do bestseller de sua carreira, Fala Sério, Mãe!, que contou com Ingrid Guimarães e Larissa Manoela nos papeis principais e capitalizou uma excelente bilheteria que levou os estúdios a começarem a programar a sequência do filme, com as atrizes principais de volta no elenco. Por mais que essa não tenha sido a primeira vez, já que É Fada, estrelado pela Kéfera, veio do mesmo nicho, foi certamente bem mais sucedido que o antecessor.

Apostando nesse sucesso é que surge, então, uma nova tentativa de lucrar em cima do mesmo público oriundo de Fala Sério, Mãe!, com uma outra adaptação de um livro de Rebouças, o não tão conhecido Tudo Por Um Popstar, que estreiou hoje nos cinemas, exatamente um dia antes do Dia das Crianças, contando com Maísa Silva e Felipe Neto no elenco principal, não escondendo de ninguém o fato de que é um caça-níquel disfarçado de filme.

A história se centra em três melhores amigas que moram numa cidade pequena, a Manu (Klara Castanho), a Ritinha (Mel Maia) e a Gabi (Maísa Silva), e que são apaixonadas pela banda Slavabody. Um dia, a banda anuncia que vai fazer um show no Brasil e as meninas se desesperam para poderem ir para a cidade grande e não perderem a única oportunidade de suas vidas de verem um show da Slavabody, recorrendo a prima mais velha da Manu, a Babette (Giovanna Lancellotti), para que elas consigam realizar o sonho da vida delas.

O roteiro, assinado pela própria Rebouças, consegue readaptar as situações do livro, escrito em torno de 2003, para um cenário mais atual, mas falha ao dar substância às suas personagens ou até mesmo as situações em que elas se envolvem. As desavenças encontradas pelo caminho não soam como desavenças normais e tudo parece se resolver sempre da maneira mais simples possível, tornando as coisas um pouco inverossímeis na maior parte do tempo. Por mais que o trio convença em sua amizade e tenha força, com Castanho e Maia brilhando em suas atuações e Silva fazendo um trabalho razoável para uma atriz com repertório bem menor que as suas colegas, não é só assim que um filme se carrega. Mesmo que se trate de um filme infanto-juvenil, não se pode tratar o público como se fossem idiotas que estão ali somente para dar dinheiro aos grandes estúdios (mesmo que a situação seja mais ou menos essa).

Outra coisa que acaba enfraquecendo o filme é a parte de trilha sonora. A banda Slavabody parece ter somente uma música em seu vasto repertório, que se repete o tempo inteiro e isso é um pouco chato para um filme que se baseia inteiramente no fanatismo por uma banda que é sucesso no mundo inteiro. O número musical apresentado pelas meninas é legal e seria mais divertido se eles tivessem apostado mais nisso, como fizeram em Fala Sério, Mãe! (as comparações não irão parar). Os meninos da banda, inclusive, são muito mal trabalhados e mais parecem figurantes do que protagonistas da história.

Mesmo assim, é divertido. Lancellotti é a melhor parte de todo o filme e rende, sem dúvidas, as melhores cenas, protagonizando os momentos mais engraçados e absurdos, algo que poderia acontecer no resto do filme sem nenhum problema, ao invés de dar tempo de tela para Felipe Neto sendo extremamente irritante como um youtuber afetado e extremamente crítico ou até mesmo na rivalidade entre o trio principal das meninas com um outro trio de meninas do colégio, que rende cenas extremamente cringeworthy.

Tudo Por Um Pop Star tinha bastante potencial para ser um filme muito maior do que é, mas acaba caindo na mesmice e sofrendo com os seus próprios erros. A grande diferença entre esse filme aqui e o Fala Sério, Mãe! é que Popstar claramente agradará as crianças e não se sabe se conseguirá abranger algum outro tipo de público, enquanto o outro consegue trazer um pouco mais do núcleo familiar inteiro, principalmente por trazer uma história boa, convincente e não inverossímil. Resta saber agora como será a resposta da bilheteria e aí já são outros quinhentos.