TRACK REVIEW: DDU-DU DDU-DU marca a volta tão esperada do BLACKPINK

O fenômeno feminino sul-coreano Blackpink finalmente voltou de um hiatus de quase 1 ano. Depois de virarem uma piada entre as redes sociais pelo managment porco da YG – gravadora que produz o grupo -, o próprio decidiu “calar a boca” de todas as ameaças que os fãs fizeram a ele e lançar um mini-álbum para as meninas com a faixa-título “DDU-DU DDU-DU”.

A faixa segue o estilo já conhecido do grupo, não arriscando algo diferente ou trazendo algo novo, mas mantendo a marca Blackpink farofão de qualidade pela qual ficaram conhecidas. “DDU-DU DDU-DU” é produzida pelo Teddy, hitmaker que trabalhou em todos os singles previamente apresentados pelas meninas e o homem por trás de muitas produções da YG, junto com 24 e R. Tee. A mistura de hip hop e trap combinou perfeitamente com a atitude das meninas, e o visual impecável que o grupo mostrou.

Talvez seja algo diferente do circuito edm-hip hop que conhecemos do Blackpink. Agora explorando o mundo de possibilidades do trap – um ritmo bem datado por sinal -, tendo em destaque uma das “trends” musicais do momento, instrumentos de percussão orientais, o grupo mostra uma progressão que pareceu nada além de natural para elas, musicalmente falando.

E esse ritmo é contemplado pela letra da música que mostra um Blackpink sem restrição. Mesmo sendo composta por Teddy, é possível captar como as meninas se encaixam nos versos, onde elas dizem que tem uma “face gentil”, porém “uma atitude que não é”. Até mesmo mandando um recado para os seus “haters” falando que elas fazem o que querem, e quando querem, pois são bem sucedidas mesmo assim – e realmente, o Blackpink foi um dos grupos que mais faturou em 2017.

O rap de Jennie é, em minha opinião, um dos pontos mais altos da produção toda. É satisfatório ouvir o flow da menina que parece até natural – se não soubéssemos que elas tem até treinamento diário de rap. É o típico rap americano que exalta a si mesmo, dizendo que elas fazem hits atrás de hits, puxado para o funk ostentação brasileiro que bem conhecemos.

Já a produção fez um ótimo trabalho em deixar o ápice pro break final, pois quando esperamos a repetição dos dois breaks anteriores, somos recebidos por algo maior e mais bem trabalhado. Uma explosão de batidas, inspiradas no trap e em trabalhos anteriores do Teddy – produtor da música.

Porém, mesmo que essa seja uma boa faixa no estilo do Blackpink, a vontade de ver as meninas sendo traduzidas por outros músicos fica. É importante que o YG expanda seu repertório e consiga trazer algo de novo pra mesa do grupo, pois a mesmice do Teddy parece cada vez mais datada, onde o Blackpink cada vez mais se parece com um grupo que vai comendo tudo pela beirada – e por tudo eu quis dizer demos descartadas do falecido 2ne1.

“DDU-DU DDU-DU” também conta com um clipe incrível produzido pelo próprio Kondzilla. Mas, brincadeiras a parte, a estética do clipe está realmente muito bonita. As meninas são vistas em vários cenários diferentes, mandando mensagens realmente importantes sobre a cultura idol da Coreia do Sul, mostrando que elas não são apenas peças de um jogo. Provavelmente o melhor delas até o momento.

Esperamos que no futuro, o YG pare de trabalhar com os mesmos produtores, para que o Blackpink progrida ainda mais musicalmente e consiga entregar trabalhos cada vez mais bem feitos. Com o seu próprio estilo, e sua personalidade artística, o grupo vai virando um dos maiores do país.