BICHAFORK: SHINee – "The Story of Light" Parte 1

Charisma… uniqueness… nerve and talent.

Entre estéticas geométricas, conceitos coloridos e a popularização do deep-house no mainstream do K-pop (porque sim, eles foram responsáveis por isso), o SHINee sempre foi uma força de renovação constante dentro do cenário da música sul-coreana. Prova disso é que o grupo chega aos 10 anos agora em 2018 com fôlego inabalado e uma coleção de álbuns sólidos e hits incontestáveis que os destaca facilmente de qualquer boygroup da segunda geração de idols exportados pela Coreia. Apesar dessa marca considerável merecer uma comemoração, os 10 anos do SHINee estão envoltos em um sentimento agridoce: mesmo superando as expectativas de tempo em atividade para um ato de K-pop, o grupo passa agora pela primeira pequena reforma na sua formação após a morte de um dos seus integrantes principais no ano passado.

Nascido com um ato de R&B (o que é bem exemplificado por sucessos antigos como “Ring Ding Dong” e “Replay“), o SHINee fez uma transição muito bem sucedida para o EDM “sofisticado” em seus anos de formação – especialmente em 2015, quando abraçaram mais fortemente essa sonoridade para o álbum “Odd”. A partir desse ponto, as experiências do grupo com o EDM foram ganhando um desenvolvimento ainda melhor com lançamentos como o disco “1 of 1”, que mesclava house contemporâneo com elementos retrô noventistas, e também em projetos solo dos integrantes, como o ótimo “MOVE” do Taemin. Tudo isso culminou na versão mais sofisticada do trabalho do SHINee com essa sonoridade no “The Story of Light Pt. 1”, EP que marca o primeiro lançamento deles em dois anos e também a primeira parte do projeto comemorativo de 10 anos do grupo.

O deep-house, subgênero do EDM que foi tão explorado pelo SHINee no “Odd” e em algumas faixas-chave do “1 of 1” (como “Prism” e “Shift”), é basicamente a alma da primeira parte do “The Story of Light”, e vem em maior ou menor escala em basicamente todas as músicas do projeto, abrindo espaço também para interações com gêneros como o synthpop, future bass, elementos do tropical house e até o bom e velho R&B. Enquanto as faixas que recheavam o “1 of 1” prezavam por tom mais sutilmente melódico em seus refrões, “The Story of Light” não poupa em atingir o público rapidamente com refrões rápidos e poderosos, o que acontece com a faixa de abertura “All Day All Night” e o bop Undercover” – ambas com construções instrumentais metálicas e quase barulhentas do future bass, o que ajuda a maximizar o impacto intencionado.

A faixa principal de divulgação, “Good Evening” (que já ganhou um dos clipes mais visualmente hipnotizantes do ano), é viciante e rápida em atingir o público com um hino pop expresso e inadvertidamente dançante. Além disso, a faixa dá vazão para uma conceituação mais interessante de refrão, privilegiando, no meio de todas as batidas eletrônicas, uma melodia retrô de sintetizador que relembra de imediato o hino drag “Charisma, Uniqueness, Nerve and Talent” da Rupaul /o/ reis LGBT fazem assim. Outro ponto interessante de “Good Evening” é a falta de preocupação da música com uma estrutura convencional, o que é bem perceptível pelo fato de que o refrão só é entoado duas vezes, quebrando o padrão básico de três refrões de qualquer faixa pop mais mainstream. No lugar de uma primeira repetição do refrão, a faixa parte para um momento slow down que destaca uma transição sóbria na voz do Key e um rap curto do Minho (este último que por sinal teve pela primeira vez partes cantadas decentes numa música de divulgação do grupo).

O EP fecha com “JUMP”, deep house descarado que lembra um pouco uma versão mais animada “Feel Good”, um dos melhores momentos do “1 of 1”, e “You and I”, midtime/semi baladinha obrigatória em qualquer álbum de K-pop, mas que dessa vez traz toda uma cadência R&B que complementa o material apresentado anteriormente, sem parecer só mais uma música feita pra cumprir tabela com o lado emocional das fangirls do grupo. É claro que o tom de contemplação da tristeza e sentimento de perda de “You and I” denunciam que ela pode ser indiretamente a faixa do grupo mais próxima de versar sobre a morte do Jonghyun – e mesmo que isso possa ser confirmado ou não, o fato da música ser sutil e não alardear isso tão abertamente ajuda na ótima impressão de que o grupo não está capitalizando descaradamente esse acontecimento trágico.

Apesar de ter alguns momentos safe – afinal, o SHINee já vem fazendo tudo o que foi mostrado aqui há algum tempo – o “The Story of Light Part.1” tem poder o suficiente para se destacar como um dos lançamentos mais legais da música pop coreana em 2018, funcionando muito bem como um trabalho fechado e também criando uma ótima expectativa para as próximas duas partes Bauhaus inspired do projeto de 10 anos do grupo – que, ao que o histórico indica, não vão decepcionar.


SHINee, “The Story of Light EP.1” (2018)
Gêneros: K-pop, EDM, R&B
Destaques: “Good Evening”, “JUMP”
Nota: 8.1