Em Pedaços: ser ou não ser.

Luto é sempre um assunto subjetivo. Cada um lida com o seu da maneira que precisa lidar. No filme Em Pedaços, Katja Sekerci (Diane Kruger), que acabou de perder sua família tem um jeito peculiar de trabalhar esse período: vingança. E é através dessa maneira que seguimos a narrativa de um thriller ambicioso, engajador e até mesmo político.

Após cumprir sua pena por tráfico de drogas, o turco Nuri Sekerci (Numan Acar) leva uma vida pacata com a sua família, Katja Sekerci (Diane Kruger) e Rocco, seu filho, na Alemanha. Mas tudo muda quando em um dia como outro qualquer ocorre uma explosão criminosa no escritório do homem, e o turco morre com seu filho, deixando a mulher sozinha e desolada. Ela procura a justiça para a punição dos culpados, um casal de neonazistas, e insatisfeita com o resultado, procura agir por si mesma.

Em tempos como o nosso, onde vivemos em uma instabilidade constante e o fascismo bate todo dia em nossas portas, Em Pedaços, se faz necessário. É através do luto de Katja que sentimos na pele o que os alvos dos neonazistas vivem todos os dias. Na Europa houve uma ascensão de grupos nazistas que cometeram esses crimes, e vão se espalhando por todos os lugares do mundo, pouco a pouco se reestruturando para causar uma tragédia ainda maior da que aprendemos nas escolas.

A importância de Em Pedaços é ainda maior pelo seu desfecho. O grito que as minorias oprimidas dão diariamente não são ouvidos em nenhuma instância, pior ainda num país que tem um histórico como o da Alemanha e sofre da ausência de medidas legais que protejam as vítimas de crime de ódio.

O thriller em questão foca muito do seu tempo dentro do tribunal, onde metaforicamente vemos os juízes quase que julgando o luto de Katja, frente a frente com os feitores daquele crime. Em muitas partes é difícil de assistir, a atuação de Diane Kruger te transporta em momentos inesquecíveis, capazes de trazerem águas passadas manifestando-se em seus olhos. É doloroso como um homem turco é desacreditado até mesmo depois de sua morte, pior ainda quando trazem seu passado à tona e não o deixa descansar em paz.

A justiça alemã, mesmo que constantemente reprovando a questão neonazista do casal, e deixando claro que não apoia esse tipo de conduta, ainda se mostra falha em muitos quesitos. Não provém de nenhuma proteção à Katja. E nem sequer leva em consideração seus direitos básicos.

O filme faz bem em construir a tensão onde Katja procura sua vingança pessoal. E como estamos lidando com o luto dela, só assim que ela conseguirá chegar à um círculo de conclusão completo. A atuação de Diane é incrível. A vencedora do prêmio Cannes de 2017 não poupa emoções, nos pega pela mão e nos faz ter empatia por ela em todos os momentos. Filmes que mostram esse tipo de narrativa são necessárias, não porque eles incentivam procurarmos vingança com nossas próprias mãos, mas sim porque é necessário saber que nazistas não vão sair impunes em nenhum momento.

O script de Em Pedaços, diferentemente do seu nome, é todo fechadinho, conta uma história sólida e mostra o crescimento do personagem principal do começo até seu último minuto. E sempre carrega uma questão crucial: se vingar ou não se vingar. Katja mostra que durante o processo do luto essa dúvida é importante. Se vingar seria, na visão de alguns, se igualar aos outros e não traria sua família de volta, porém traria a justiça tão esperada para sua família inocente. Não se vingar seria legalmente certo, mas será que em tempos como esses é certo deixarmos nazistas à solta por aí?

A resposta está dentro do filme. Mesmo que o final para mim não tenha sido tão satisfatório quanto poderia ter sido – essa dúvida poderia não ter sido sanada -, o thriller alemão deixa claro para onde ele quer ir e qual mensagem ele quer passar. Criando um manifesto político memorável em seus minutos finais.

Mesmo que doloroso em muitos momentos, Em Pedaços é um ótimo filme. Cheio de momentos lindos e cenas maravilhosas. Muito bem dirigido e bem escrito, é um filme que com certeza não seria uma perda de tempo. E ainda iria lhe deixar com o debate “ser ou não ser” no ar. Em Pedaços estreia dia 15/03 nos cinemas do Brasil.

Data de lançamento 15 de março de 2018 (1h 46min)
Direção
: Fatih Akin
Gêneros: Drama, Suspense
Nacionalidades: Alemanha, França

#empedaços #filmes #filme #alemão #dianekruger

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s