Ru-Cap: RuPaul's Drag Race All Stars S03E03 "Super Janet Jackson contra a mediocridade branca o"

Alô, chanelpocs! Mais uma semana, mais um ru-cap do meu, do seu, do nosso reality favorito de competição de crossdressers amargas por estarem sóbrias por horas sem direito a um mísero golinho de cachaça enquanto competem umas com as outras para tornar-se a mais nova sensação da internet ou, melhor ainda, ganhar 2 doletas – that’s a lot of fucking money. É claro, estamos falando de RUPON. Bom, eu sou o único integrante desse blog cuja vida social é uma montanha russa em constante queda-livre e que ficou sozinho no carnaval escrevendo texto em casa. :'((((( Meu nome é MC Matheus e vocês são os leitores lacração – desculpa – e aqui começa mais um maravilhoso e edificante RU-CAP!

O texto abaixo contém spoilers E MAIS: spoilers/rumores sobre os próximos episódios. Esteja avisada, poc.

A injusta, porém, convenhamos, passível eliminação da branca de dreads Rachel Dolezal Thorgy Thor deu uma boa mexida logo no início do jogo. Aquela ladainha – que não colou com ninguém, afinal Roxxxyzão-E-Estou-Aqui-Para-Deixar-Claro foi arrastada até o Top 4 por suas amigas simplesmente por não ser ameaça a ninguém, sendo escorraçada pela própria RuPaul de seu programa – de eliminações justas e baseadas nas críticas do jurados que rolou entre as participantes do All Stars 2 já não tem a mesma força aqui. Unindo drags periféricas – Chi Chi e Aja – com outras drags famosinhas – Trixie Mattel e Shangela –, RuPaul tem o ying e o yang perfeitos para o fator suculência de seu ‘reality show’ acontecer: nem todas as gatas querem agradar o público. O que elas querem mesmo é aparecer. O que pode ser melhor do que o formato televisivo de uma hora filmando esses homens em perucas, vestidos de caricaturas femininas absurdas, no auge de crises de abstinência de álcool & outras drogas, enquanto arrancam o olho uma da outra para ter mais tempo em frente às câmeras? oo E é mais ou menos nessas que o 3º episódio inicia-se.

*BOOM* na Thorgy conspiracionista – que tinha até sua razão mas que, por antipatia a ela mesmo, vamos ignorar o – AMARGUÍSSIMA com sua eliminação a ponto de desenhar um PÊNIS EJACULANDO como mensagem de adeus para suas colegas. Como diria Latricezão: “a falta de profissionalismo… muito. demais.”. Vai ver é a idade chegando ou minha própria sobriedade enquanto lhes escrevo esse texto mas Kennedy achando aquilo uma falta de respeito me fez cascar o bico. Pelo amor dos 8 wins consecutivos de Ajânus na Season 8, quantos anos é que a Thorgy tem? Enfim, mais uma branca OUT. É lógico que a segunda e última branca – e mais irritante dentr’elas – deste seleto e multi-étnico elenco de drag queens começa a estremecer como nunca. Milk, convencida de que sua carreira após Season 6 teve altos desconhecidos pelas outras, continua a ter ilusões febris de que seu desempenho no programa tem sido exemplar e acima de todas as outras. Vejam só a artista cuja raiz era ‘underground’ e ‘fora dos padrões’ tornando-se um monstro de reality TV diante dos nossos olhos só porque agora é manequim do Marc Jacobs, hein – e detalhe: descolou o job meio que unicamente graças aos seus atributos masculinos. Parabéns Milk por ser a representação vilanesca de diversos privilégios – privilégio branco, padrãozinho, malhado, pipipi popopo – que os editores precisavam em nosso atual contexto sociopolítico. Uma vilã para os novos tempos, Taylor Swift of drag, se assim me permitirem. (ALGUMAS AMIGAS QUE ME PERSEGUEM provavelmente lerão esse parágrafo e vão pensar: “Hm, então estaria Matheus elogiando Milk, já que sua origem ‘Brazilian Redneck‘ e/ou ‘Interior de SP Girl‘ automaticamente lhe faz fã das músicas mais sertanejas de Taylor Swift?”. Mas não, jamais. Prossigam e me deixem em pazzzzzzzz, este é meu desabafo, este é meu momento, fora Milk)

Quem quiser os links pros meus melhores achados de amarrações poderosas pra prender o homem que você ama é só comentar aí embaixo /o/

O desafio da semana é o “The Bitchlor”, paródia do “The Bachelor”, cujos participantes são solteirões em busca de um novo amor. Quase os “A Shot at Love com Tila Tequila”, esse aqui particularmente muito importante pra mim pois cresci assistindo essas delícias da MTV, em versão mais clean e branca e anglosaxônica and shit. Cada uma das gatinhas é dada uma personagem com características já pré-definidas mas, ao contrário do HORROROSO desafio anterior de lip sync de Divas VH1, estas personagens dão liberdade a elas para improvisar livremente. O solteirão que as meninas terão de conquistar é o GOSTOSO DO JEFFREY BOWYER-CHAPMAN PELO AMOR DE DEUS OLHEM PR’ESSE HOMEM E ESSA CARA DE QUEM SABE MANDAR UM CUNNINLINGUS COM MUITA SENSUALIDADE. Encontram-no sozinhas, pela primeira vez, ao chegarem na fictícia mansão do solteirão; depois, encontram-se com ele junto a outra menina e vão até a banheira – MEU DEUS, MEU DEUS, A CHI CHI TÁ CHUPANDO O MAMILO DO JEFFREY – e, então, recebem o anúncio de que é RuPaul a amada escolhida pelo hunk mais pegável de toda a história desse programa. Ah, como eu amo os efeitos do acréscimo de orçamento de Drag Race. Obrigado pelos mimos, VH1.

Carnaval kinda mood.

O resultado da paródia foi um sucesso inesperado, em grande maioria. O resultado das esquetes de Bendela, Kennedy e Trixie foram incríveis: seus segmentos já são históricos e culturalmente adjacentes, especialmente por terem me lembrado demais os dias de Comédia MTV parodiando “Mulheres Ricas”, sniff. Kennedy, glamazona, após uma intensa noite de prostituição cristalizou-se numa metralhadora de piadas e ‘overall awkwardness‘ pra fins cômicos: todos nós fãs de reality conhecemos aquela garota festeira interpretada por ela. Aquela participante boca de confusão, de senso estilístico, digamos, extremo. O que mais me chamou a atenção na ‘party girl’ de Kennedy é que ela não me pareceu uma caricatura racial, como muitas já fizeram em desafios de comédia, e sim uma personagem bem pensada. Bendelacreme, que já esteve no Top 2 por dois semanas consecutivas, dando sinais de ser a cotada oficial da temporada – contrários aos spoilers do Reddit apontando outras como front-runner arrastada, tal qual foi Alaska no All Stars 2 – aposta na força de sua caracterização madura, OU SEJA, ela interpreta mais uma vez uma MILF. Felizmente, sua coroa gostosona é mais uma personagem incrível desse desafio e, assim como Kennedy, conseguiu me surpreender por demonstrar inteligência. HUMOR INTELIGENTE, GALERA #ChoqueDeCultura. Tracy Martel, cujos primeiros episódios limitaram-se a destacá-la como ‘talking head’ dos confessionários do programa, finalmente mostrou um pouco a que veio. Sua gatinha falsa foi ótima e mostrou um pouco do porquê dela ter se tornado tão grande na internet como a pior melhor comediante ‘drag racer’. Entretanto, interagindo com Milk no desafio, seu momentum foi cortado pelo que se tornaria o maior destaque do episódio – ainda maior que o próprio desafio principal em si – A QUEDA DA BRANCA SAFADA: MILK. Interpretando uma ‘stalker’, Milk age como se estivesse à beira de ter um aneurisma, fala por cima de Trixie várias vezes, deixa todo mundo constrangido, e ainda sai se gabando de sua performance. Porra, se isso não é a definição de delusional…

<33333333

A performance com um pouco menos de brilho de Shangela é ok o bastante para mantê-la por mais uma semana na competição. Já Chi Chi, coitada, completamente escorada na Shangela – porém, convenhamos, ambas tiveram caracterização tosca e eu esperava mais da Shangie pós imitação quase que perfeita de Mariah Carey –, derrapa sem dó e vai parar no Bottom 3. Milk e Aja são as outras na berlinda. Enquanto Chi Chi e Aja trouxeram looks incríveis para a passarela de tema “wig on wig reveal”, Milk apresenta um look mediano, meio Fernanda Lima pulando carnaval numa peruca mal-hidratadíssima vinda diretamente de bonecas Suzy. Trixie surfou na psicodelia visual da Lady Bunny, eternamente presa nos anos 60 essa véia boca-suja, e nas perucas crocantes de Katya com seu bom gosto para estampas-problema e formatos geométricos interessantes; mas ainda faltou quem sabe mais um ‘reveal’ ou outra peça-destaque.

Esperando as 12 vitórias consecutivas prometidas pela produção; será que o cheque não caiu?

Inclusive, esse episódio foi simplesmente tão satisfatório que não só o tema da passarela é ótimo: todos os looks apresentados foram únicos. O ‘Ru-veal’ de três perucas/looks diferentes da Aja, foi de deixar qualquer otakinho orgulhoso. De Kyary Pamyu Pamyu no horroroso single “Family Party”, a Cynthia de Rugrats, a Violet Chachki inspirada na Tidinha, Ajânus mais uma vez nos mostrou carisma, singularidade, NERVOS, e talento. Tá vendo, J-Poczinha, valeu a pena sim aguardar os 10 segundos antes de cada download do seu episódio favorito de “Sailor Moon” no 4Shared.

“Eu tenho o poder de Deus e do anime do meu lado”, porque representação otaka É SIM RESISTÊNCIA e saber que Ayumi Hamasaki não tem nenhuma música chamada ‘Butterfly’ em sua discografia é chave para o conhecimento. Parabéns, ícone!

O ‘meltdown’ da Milk de havaianinha a edição inteira sem maquiagem fazendo cara de sofrida é interminável. Enquanto, por um lado, temos Chi Chi justificando-se, com razões & emoções, sentir-se interior às suas colegas, do outro temos Milk sendo uma chata lamentável/detestável. Por motivos técnicos, e espelhando-se nas decisões tomadas pelas participantes do All Stars anterior, acredito que nenhum dos jurados e/ou produção cogitou que Milk realmente seria a eliminada da semana. Tanto é que o próprio Marc Jacobs vai dar uma passadinha pela sala de trabalho das meninas no próximo episódio, possivelmente mirando num crossover entre criador e criação. A criação, no caso, aqui é Milk; e Marc Jacobs criou foi um monstro.

DELUSION, CONVINCE YOURSELF

Mas não teve outra. Depois de um lip sync HORROROSO entre Kennedy e Bendela do hino pós-chifre “Green Light” da pedante Lordezão, cuja edição foi tosca e cortou a música em diversos pedaços d’um modo que nada fez sentido e a música perdeu completamente sua estrutura !!!!, a decisão foi tomada e foda-se Chi Chi que há sete ou nove episódios encontra-se entre as piores. Esse cast aqui trabalha com REALNESS. Dedada no cu e gritaria.

Kennedy mandou embora do programa a branquela mais odiada do momento por gays desde a última branquela mais odiada do momento por gays.

Podemos dizer então que: essa eliminação foi o equivalente homossexual de uma vingança pessoal e planejada de Janetzão Jackson contra Justin Timberlake. OOOO Pra quem tá fora de casa curtindo o carnaval e já tá no sétimo ou oitavo dia de curtição movida a tóxicos, prep e bareback, ou simplesmente não é um homossexual inteirado, Justin fez um show fraco no intervalo do Super Bowl – whatever whatever futebol americano whatever evento mais assistido do ano pelos americanos whatever – e deixou não só internautas justiceiras sociais revoltadas por não mencionar Janet como também a própria família da anja. No show de intervalo de 2004, ele foi um dos envolvidos no ato que arruinaria a carreira da Namie Amuro deles até hoje, num truque de figurino que acidentalmente – ou propositalmente, como acusam várias fontes – expôs um dos seios dela em rede nacional.

Nem mesmo Shangelão fez questão de esconder sua intolerância a lactose & escatológicos efeitos do leite de origem animal para com o corpo humano.

Então, parem pra pensar: estamos diante d’um reality safado e oportunista, cuja apresentadora é tão safada quanto sua própria criação – que já ganhou asas, pernas adicionais, e poderes metafísicos –, que tentou tirar ao máximo leite de uma pedra na Season 9. Isto é, tentaram transformar Valentina em ícone cultural de resistência latina pós-era de xenofobia Donald Trump, mesmo com seu histórico irregular no programa, e alguns certos problemas de comportamento. Kennedy é a personificação da excelência negra (menos, menos, a gente sabe, mas finge caralho, entra na fantasia) massacrando um branquelo padrãozinho (amo tanto o termo “padrãozinho” no diminutivo mesmo pois me lembra essa imagem). É Janet fazendo justiça. É a mulher negra tomando liderança após anos de obscuridade. É Janet. Janet: Janet. #JanetJacksonAppreciationDay

Semana que vem teremos o Super Bowl dos homossexuais, o “Snatch Game”. Ao contrário do AS2 e da Season 9, cujos spoilers eram narrados em ricos detalhes pelos portais internet afora, o AS3 tá sendo +/- surpresa até agora. Mesmo no Reddit de Drag Race, fonte de boa parte dos rumores e teorias conspiratórias envolvendo o programa, muita gente ainda tá perdida com o andamento de tudo. Ano passado tivemos a notícia de que Bendela era eliminada após várias vitórias e simplesmente ninguém deu a mínima. o Trixie surfou por rumores de que seria eliminada logo cedo, ou de que seria a clara vencedora arrastada da edição – ambos os rumores já provaram-se falsos –, e agora, periga ser eliminada após Snatch Game, no qual sua famosa imitação de RuPaul não vai dar muito certo na frente da própria véia. Há, ainda, o rumor já mencionado por nós de que a temática de “Handmaid’s Tale” na temporada iria tão longe que colocaria Bebe, vencedora da 1a temporada, como carta-coringa com poderes de decisão superiores ao resto das meninas. Tudo que pode acontecer provavelmente já foi mencionado em alguma das inúmeras listas de Spoiler Checking do Reddit mas deve ter se perdido entre tanta boataria espalhada por aí; o que é interessante embora deixe minha ansiedade generalizada ainda mais a flor da pele. *o*

Por hoje é isso, girlies. Tentaremos ser mais rápidos com os próximos Ru-Caps mas por enquanto É CARNAVAL POC vá andar agarrado à sua latinha tampada com o dedão pela rua justficando aos conhecidos que simplesmente não quer que vaze o gás da sua bebida. Não esqueçam também de apreciar aquela que realmente lhes deu tudo o que queriam nessa última semana:

“Pele preta, pele clara, minha persuasão asiática, eu tenho de tudo um pouco, é por isso que essas gatas me odeiam, é porque eu sou sexy”. Esse trecho de Namie Amuro – ‘WILD’ é realmente incrível. *o*

E por favor, agora que migramos todos os nossos textos para outra formatação de blog que permite à vocês, queridas amigas, comentar nossos posts (!), não se acanhem!! Especialmente se tiverem bons gifs etc pois memes são a real moeda da internet, Bitcoin out e esquecível. Lembrete de que estamos no Twitter e no Facebook, etc, etc. Beijos estrelados.