Pabllo Vittar: Peguei Meu Amigo Hétero e Veja No Que Deu

Desde os primórdios de sua carreira como vocalista da banda do Amor&Sexo, Pabllo Vittar vem deixando claro que a pegação, nua e crua, é uma parte muito presente em sua videografia. E com seu clipe mais recente, “Então Vai” – música tirada diretamente do porão do Diplo – não poderia ser diferente: Pabllo Vittar beijou o amigo hétero e veja no que deu.

Estourando nas mídias sociais com a sua paródia super válida de “Lean On” – na minha opinião ainda mais memorável que a original -, a drag queen carro-chefe do revival do cenário pop brasileiro, vem sempre mostrando o quão importante é ter seu nome no cenário musical, mesmo que alguns tweets de “a família tradicional tremeu” sejam realmente sensacionalistas, a figura LGBT vem sempre dando o que falar, seja em horário nobre nos domingos conservadores – alô domingão do faustão – ou na faixa adulta durante um programa polêmico. O importante é que Pabllo sempre marcou sua presença e nunca deixou de transferir isso pra sua videografia.

Puxando um pouco da estética “party gal”, presente em clipes pop americanizados em geral, a premissa da videografia até então era simples: celebrar a cultura drag e mostrar a diversidade dentro da arte performática. E fazia isso com maestria. Desde sua ascensão ao cenário mainstream, Pabllo Vittar se tornou um nome forte e nunca deixou de lado suas raízes drag queen desconstruidx – por não usar próteses e tudo mais -, tentando até mesmo popularizar esse estilo anti-michelle visage que gera ainda muitas críticas. Pabllo está em milhares de parcerias e em especiais de TV, sua existência gerou conscientização para milhares de espectadores e todo esse alvoroço ainda serviu – com a ajuda da ilustríssima Anitta – para popularizar o cenário musical brasileiro, dando a drag parcerias de sucesso com nomes internacionais e revitalizando esse marasmo que existia no pop nacional até então.

Foi quando sua ascensão à estrela-nacional aconteceu que seus clipes começaram a tomar um padrão até então muito engraçado: um compilado de videos amadores do estilo “mamei meu amigo hétero”. “K.O.”, como pioneiro dessa leva, estrela um modelo masculino ao lado “do cantora” Pabllo Vittar. O clipe bem produzido e que incentivou artistas brasileiros à saírem daquela mesmice de “clipes ao vivo”, foi um dos mais vistos da cantora e ganhou repercussão em todos os cantos do mundo – é sério, tem video de coreano reagindo à ele. O clipe segue nenhuma história aparente, mas serviu pra drag lançar looks “lacrantes”, numa estética bem boxer, ambiente hétero e tudo mais. O que significa isso? Pra mim, a clara reapropriação de elementos da cultura hétero, o que é incrível, eu concordo, mas também a marcante introdução da mesma dentro do cenário mainstream.

E eu prefiro que esteja dentro dele mesmo. Não me levem a mal as bichas underground, mas é impossível a resistência desse “fenômeno do pop brasileiro” – e chamo de fenômeno porque realmente mereceu o nome – ser feita apenas por meio de paródias de músicas do Diplo. Depois de seu smash hit que rende royalties até hoje uma vez que é tocada sem parar pelas pessoas, Pabllo precisava de uma sucessora à altura, e obviamente “Corpo Sensual”, parecia com Mateus Carrilho da Banda Uó, seria a própria. A música seguindo no mesmo estilo da outra, mistura um brega com uns elementos pop novos, mas o mais importante é que soou refrescante no ouvido do público. E aí a fórmula já estava feita: Pabllo Vittar pegando um amigo hétero na brotheragem. O clipe da sucessora de “K.O.” conta com muita pegação entre os dois intérpretes e não deixa de fora toda a vibe “veranesca”. Junta isso com uma estréia no horário nobre, em um dos maiores programas da globo e *booom*, a fórmula pronta pra dar o que falar nas correntes do zap de todas as famílias. Não é atoa que desde seu lançamento o clipe conta com quase 300 milhões de visualizações. Tudo isso por ter pego um g0y.

A fórmula do “sucesso” que a drag encontrou foi tão boa que serviu de inspiração até mesmo para alguns cantores de sertanejo que acabaram tentando embarcar na tsunami de sucesso que é Pabllo. “Paraíso” de Lucas Lucco com participação da mesma, chega com todo o queerbaiting possível na indústria musical. Preso no limbo infinito que é sua carreira – um loop infinito de fotos do rapaz dentro da academia tomando whey – Lucas tentou de todas as maneiras emular o que estava acontecendo na esperança de conseguir deslanchar algum hit, algo que ele vem tentando desde sempre. A insossa música, com um dos refrões mais anti-climax que já ouvi na minha vida, segue com um clipe no mesmo estilo. Um que provoca, provoca e nunca dá, atiçando a cabeça das gayzinhas – que já haviam superado essa poc padrão – e nunca dando à elas o que elas querem, mesmo que sugue o dinheiro todo através de views no youtube. Pra instaurar a polêmica, Lucas Lucco tentou emular algo como o “jardim do éden”, onde a ideia seria Pabllo como Eva e o rapaz como Adão. O que além de ser um conceito datado e tosco, só serviu pra deixar o videozinho dele no “está em alta” do youtube e uma chuva de comentários homofóbicos do pior tipo no site. O queerbaiting vai sendo milkado até o final, shots esquizofrênicos dos dois se agarrando em um cenário tropical são jogados na nossa cara em uma edição péssima que chega a nos deixar com vergonha.

Dando continuidade à sua saga, “Peguei Meu Amigo Hétero”, na sexta-feira (03/02), a drag queen lança o clipe de seu single mais recente, “Então Vai”. A queridinha de Diplo, produzida especialmente para Pabllo, vai ser a tentativa de hit de carnaval da drag, algo que faz sentido em minha cabeça, pelo clima da faixa traduzir bem a data festiva. O clipe lançado em parceria com a loja de departamento C&A – patrocinadora dos clipes mais recentes de Anitta – teve quase nenhum hype em sua divulgação, mas o que deu o que falar foi o beijo entre o DJ de “Lean On” e Pabllo Vittar. O beijo em si, esmurrou o Lucas Lucco de todas as formas. Não enrolando e atiçando a pequena poc sonhadora e dando à todos o que eles realmente prometeram – pois havia um indício de beijo no teaser do clipe lançado antes.

O clipe de “Então Vai”, é inofensivo e inovador na carreira da drag. Podemos ver um outro lado do artista, uma atmosfera um tanto carnavalesca e tropical, em cenários abertos. Sem contar na fotografia bem simpática do clipe. A música de superação, combina em aspectos com o clipe quando entendemos ele sendo uma ilustração do exato momento quando superamos aquele ex abusivo e problemático achando aquela boquinha pra beijar nos blocos de rua da vida.

Daqui pra frente, Pabllo continuará elevando sua imagem no cenário musical, mas será que ainda teremos mais um clipe unindo-se ao compilado de “peguei meu amigo hétero e olha no que deu”, ou a drag vai voltar à suas raízes mostrando a diversidade da performance artística?

#pabllovittar #videografia #diplo #matéria

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s