Beija ou passa na comunidade do miss A

“Luto pelo falecimento da Minha Amada miss A

Acaba de falecer a miss A de Eutanásia, as 19:00hs

Logo que obtiver maiores esclarecimentos, passarei.”

– Park Jin Young

[Enterro do grupo. Perceba como Min ainda luta pela relevância mesmo aqui. Força, guerreira]

A JYPE resolveu parar de chutar cachorro morto e renovou a sua line-up de artistas para 2018. Chocando o total de uma (1) pessoa, o disband do miss A foi, finalmente, oficializado. O grupo já tinha sofrido um baque imenso com a perda da Jia no comecinho de 2016 e não haviam esperanças nenhuma para um comeback com as 3 meninas restantes, já que Fei e Suzy estavam concentradas em suas carreiras solo e Min torcia que quando saísse na rua alguém a reconhecesse como a baixinha do cabelo curto do miss A por ter ficado na geladeira da JYP desde o último comeback do grupo, em 2015, até o fim de seu contrato, no mês passado.

Essa #bomba #breakingnews confirmou para nós aquilo que já sabíamos: a JYPE não só não consegue gerenciar mais de um grupo feminino ao mesmo tempo como também nunca se importou direito com o miss A. Assim que o miss A nasceu, o grupo antigo da empresa Wonder Girls já dava sinais de morte, por conta da patacoada que o JYP inventou de levar as meninas para os Estados Unidos e acabarem com a carreira próspera delas na Coreia. E mesmo assim, o management podre do miss A já começava a dar sinais de avanço desde lá do comecinho, mais precisamente na época em que as garotas se consolidaram como grandes nomes na indústria, em 2012, e não fizeram comeback até meados de 2013, com Hush. Não foram poucas as vezes que Fei, Jia ou Min (já que Suzy sempre foi a princesinha da JYPE) reclamaram sobre como elas não tinham oportunidades de aparecem em variety shows e promoverem regularmente como membros do miss A, sempre sendo deixadas de escanteio até mesmo em épocas em que elas estavam indo para music shows.

Some isso ao fato de que o novo grupinho da empresa estava vindo com um hype imenso de um reality show que lucrou muito com sua audiência. A roda da fortuna girou e o miss A só continuou na lama. O TWICE – já no seu décimo comeback nesse mesmo ano – é o front-runner do velho babão e agora o único girlgroup dentro da gravadora. O miss A sofreu – na verdade já sofre há dois anos – na pele o que o Wonder Girls passou, mas a diferença crucial para ambos os grupos foi o laço das integrantes do último citado, o descaso da JYPE foi tanto que as mesmas imploraram ao chefe para produzirem/escreverem as próprias músicas que deram origem aos últimos momentos de vida das meninas. Já o miss A, com sem uma de suas integrantes e o “managment” porco da gravadora privilegiando algumas e deixando outras de lado, não tiveram a mesma força de vontade e união para darem aos fãs ao menos os últimos suspiros de vida. A fanbase desestruturada de um dos grupos que foi destaque de sua geração continuou diminuindo até de fato desintegrar-se e resultar no que ocorreu essa semana.

[Amigas pra sempre e Suzy]

E a parte realmente triste de tudo isso é que o miss A nunca esteve exatamente por baixo. Pelo contrário, o sucesso sempre acompanhou o grupo desde o comecinho, pois o seu debut, Bad Girl Good Girl foi uma das músicas mais vendidas de 2010 e é lembrada até hoje pelos netizens como um dos melhores debuts de girlgroups de todos os tempos, desbancando a concorrência da época (SISTAR que debutou na mesma época) e outros nomes consolidados na indústria do K-pop. Além dessa, todas as outras faixas da carreira do grupo foram muito bem sucedidas, tendo o miss A atingido 4 #1s na Gaon, o que representa 50% de seus singles, já que o mismanagement foi tão grande que elas só tiveram a chance de terem 8 músicas lançadas. E não só isso: a última música lançada pelas meninas, Only You, foi a música mais vendida por um girlgroup no ano de 2015, superando músicas como Shake it do SISTAR, parte integrante dos comebacks de verão anuais do grupo até o seu disband, e Lion Heart do SNSD, primeiro comeback de full álbum do grupo sem o cristal Jessica Jung.

[Da esquerda pra direita: Jia, Fei, Suzy e Min. Não fizemos profiles para elas pois sabemos que só uma permanecerá viva na indústria mesmo]

Por isso, para celebrar os 7 anos (5 em ativa, diga-se de passagem), iremos relembrar a você, caro leitor, e rankear, as melhores titles dentre o acervo limitadíssimo, que o porco do JYP nos permitiu ter, de miss A em nossas humildes opiniões como boas pocs k-poppers. Lembrando que, como todos artistas da JYPE, o miss A não está disponível para stream no Spotify então aproveitem para ajudar nas #views póstumas no Youtube. Que as fadas descansem em paz e tenham muita luz em seus caminhos (Inclusive, que a Min pare de participar em colaborações dignas de pena como “Born To Be Wild” com a Hyoyeon do SNSD e JoKwon do 2AM).

08. “Breathe” (2010)

07. “I Don’t Need a Man” (2012)

06. “Love Alone” (2011)

05. “Only You” (2015)

04. “Good-bye Baby” (2011)

03. “Bad Girl Good Girl” (2010)

02. “Hush” (2013)

01. “Touch” (2012)

Vale a pena conferir:

“Over U”, b-side do mini álbum “Touch” [Caino]

“Lips”, b-side do mini álbum “Touch” [Michel]

“Yes No Maybe”, solo da fada que matou o miss A com bondade e acusações falsas de seus fãs sobre sofrer bullying pela trupe chinesa e a anã Min [Caino]

“Fantasy”, o solo da verdadeira fada do miss A (Fei) que salvou o grupo constantemente e carregou nas costas a folgada visual boneca da Estrela. [Michel]

Não há indicações de material solo da Jia pois não queremos deixar nenhum leitor surdo de um seio.

#missA #suzy #fei #JYP #matéria

0 Comments

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s